Muito além das greves!

GrevesFreqüentemente acompanhamos o início e o fim das greves. Recentemente tivemos a longa greve dos bancários de todo o país, totalizando 52 dias de agências fechadas. Funcionários da Petrobras e da saúde ameaçam entrar em greve. Há pouco tempo os aposentados, por meio de sua associação nacional, afirmavam estar em estado de greve. Como vemos, o salário continua curto para todas as categorias, e parte delas já começa a anunciar greves por melhores índices de reajuste salarial. Mas o que está por trás de tudo isso não é tanto o índice de reajuste. Muitas vezes, não sabendo expressar o seu anseio, os trabalhadores terminam lutando por coisas secundárias, embora importantes. Coisas como a reposição da inflação, a diminuição da jornada semanal de trabalho, creche para crianças de todas as idades, aumento no valor das horas-extras. O que motiva petroleiros, professores, bancários, enfermeiros e até aposentados a iniciarem uma greve é o sentimento de injustiça que permeia as sempre tensas relações de trabalho no Brasil. É um grande desafio atender a todas as categorias e ao mesmo tempo manter o crescimento econômico, como também é bastante desafiador gerar emprego para todos. Uma coisa é certa: no fundo, o que as pessoas querem é justiça!

One Response so far.

  1. Perguntastes acerca de greves. É um assunto que apresenta atualmente – e por muito tempo ainda há de apresentar – grandes dificuldades. Greves são devidas a duas causas: à excessiva astúcia e rapacidade dos capitalistas e industriais, e, por outro lado, à imoderação, à avidez e à má vontade dos operários e artífices. Faz-se mister, pois, remediar ambas as causas.

    (‘Abdu’l-Bahá, Respostas a Algumas Perguntas)


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado