Palavras carregadas de preconceitos

Contra os preconceitos na linguagemNossa linguagem tanto pode ferir quanto agradar. Muitas vezes usamos as palavras sem perceber que elas carregam consigo o preconceito, que pode magoar e reforçar atitudes negativas. Por exemplo, ao chamarmos uma pessoa que sofre de Hanseníase de leprosa, facilitamos sua exclusão, uma vez que por longos séculos a palavra lepra tem servido para alimentar o sentimento de algo que é repugnante, contagioso. Outras vezes chamamos alguém de aidético. Ora, durante os anos 80 a Aids, por ser ainda bastante desconhecida, era muito mencionada como uma praga das mais contagiosas. O correto seria dizer que a pessoa é portadora do vírus HIV. Existem outras expressões como “a coisa está preta” ou a “situação está negra” para se referir a algo que não está bem. Sabemos que associar palavras como preto ou negro reforça ainda mais o sentimento de exclusão dos afrodescendentes. Falar sem ferir os outros, sem diminuir sua auto-estima, é certamente uma questão de bom senso.

3 Responses so far.

  1. (nao divulgado) disse:

    vcs sao uns porco

  2. (nao divulgado) disse:

    eu quero palavras afrodescendentes

  3. Margery disse:

    Ach, wo denkst Du hin? AMC gibt es nur in der Heimat, weißte doch.Sind übrigens schöne Photos, die Ihr da aus München mitgebracht habt!Zum Thema “DV 2011″: Way to go guys, way to go! Never stop trgiyn…


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado