Quem não tem diz que não precisa

CelularQuem não tem diz que não precisa. Mas quem tem não vive mais sem ele. Considerado há poucos anos utensílio exclusivo da classe alta, o telefone celular não encontrou dificuldades para atingir uma popularização impressionante. O surto de consumo em todo o país acabou alertando para um problema grave: o alto grau de toxicidade das baterias utilizadas nos aparelhos, feitas com metais pesados. Quando descartadas, acabam em aterros sanitários. E aí vem o risco de contaminação do solo. A estimativa é que no Brasil sejam descartadas 100 toneladas por ano de baterias de telefones celulares. Por sua vez, os telefones celulares são substituídos rapidamente devido à constante evolução da tecnologia. Mas que fazer com os aparelhos antigos? Pois bem, em uma parceria com a Universidade de Warwick, da Inglaterra, duas empresas bolaram um celular que transforma-se em flor quando é plantado. O aparelho ecológico é fabricado a partir de polímeros biodegradáveis que transformam-se em pó quando são enterrados., Os fabricantes também inserem uma semente de flor na composição do aparelho. É a criatividade a serviço da saúde e do meio-ambiente.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado