Palavras que ferem parecem inocentes

Palavras ferinasHá poucas semanas o Brasil colocou em xeque as tais expressões politicamente corretas. Sem dúvidas, algumas expressões recomendadas como adequadas ao nosso lingujar diário beiravam o rídiculo. Mas outras, eram bem acertadas porque colocavam o dedo na ferida. A ferida da indiferença antes os portadores de deficiência. Por que devemos usar o termo pessoa com necessidades especiais? Bem, essas pessoas no lento transcorrer da história, foram referidas, carimbadas com termos como: Retardado, Doentinho, Aleijado, Surdo-Mudo, Surdinho, Mudinho, Excepcional, Deficiente, etc… Portanto, é bom destacar que, atualmente, utiliza-se o termo Pessoa com Necessidades Especiais por acreditar-se que o foco deve estar nos recursos que ela necessita e não na pessoa. Na Educação Especial considera-se Pessoa com Necessidade Especial os Portadores de Deficiência Auditiva, Visual, Física, Mental, Múltipla, Altas Habilidades e Condutas Típicas. Por trás de tudo isto o que importa é que a dignidade da pessoa humana seja respeitada.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado