Aprendendo a lidar com as diferenças

Lidando com as diferencasEstá no folhateen do jornal Folha de São Paulo a informação de que jovens com algum tipo de limitação física decidem romper a barreira da insegurança para levar uma vida social ativa. O primeiro contato nem sempre é fácil, mas quem se aventurar pode aprender a lidar com as diferenças. Foi assim com Marília Tocalino, 19, que é cega. Quando sai pra se divertir, muitas vezes ela não percebe que está sendo paquerada, cabe às amigas avisar se alguém está olhando. Já Larissa Blascu Leme, 15, é sempre notada quando sai. Ela se locomove em cadeira de rodas e fica impressionada por não ver outros cadeirantes na noite. Ela diz que “as pessoas deveriam se mostrar mais, não ter vergonha, assim não seria tão assustador quando duas meninas saem para a balada em cadeiras de rodas”. Para a psicóloga Rosângela Barqueiro, somente jovens bem resolvidos com a própria situação têm condições de viver plenamente a sua vida social e afetiva. Rosângela aconselha que “eles precisam aceitar suas limitações e trabalhar suas possibilidades”. Douglas Fogo Carrér, 16, é surdo e tenta superar as dificuldades de comunicação por meio da leitura labial, mas nem sempre é bem recebido pelas meninas. Ele disse que “algumas reagem com preconceito”. Muitas vezes o maior obstáculo para a conquista da independência é a superproteção da família. Temos que compreender que o portador de necessidades especiais tem necessidades especiais mas que não é um coitadinho. O preconceito só vai existir se a própria família o tratar assim.

2 Responses so far.

  1. Dimas disse:

    Lidar com as diferenças é fundamental para que possamos viver numa sociedade mais harmoniosa e com menos preconceitos.Posso falar isso sem rebuços pois sou portador de deficiencia fisica em decorrencia de uma poliomielite bulbar contraida aos tres meses de idade.Hoje com 49 anos de idade,sou jornalista formado,e estou terminando meu curso de Direito,moro sozinho, nao me casei por opção e acredito ser uma pessoa feliz.Existe o preconceito?Sim existe e eu estaria sendo hipocrita se dissesse o contrario,porem,ele é produto mais da desinformação,da ignorancia do que propriamente da falta de sensibilidade ou da ma fé.Pois somos todos filhos do mesmo Pai e perante Ele somos todos iguais.

  2. Na minha opiniao , eu acho que esse site tem nos ajudado muito!Mas prescisaria ser dividido melhor : Porque muitas vezes oque agente proucura nao e sempre que agente acha .A minha opiniao e que separe melhor cada assunto, como;o preconceito racial do preconceito de fisionomia e etc. e essa minha opiniao

    obrigado!
    Amanda Cristina.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado