A ação da OMS após os tsunamis a Ásia

Tsunami a onda da morteConsultores técnicos e especialistas em logística da Organização Mundial de Saúde, órgão das Nações Unidas, trabalham calmamente dia e noite reunindo informações sobre os locais onde as doenças proliferam na área atingida pelo tsunami, na Ásia. A OMS é forçada a confiar nos rumores dos sobreviventes e nos relatos dos soldados para ter uma idéia do que está ocorrendo nos locais afetados. A prioridade agora é estabelecer rapidamente um sistema de alerta de epidemias de doenças na região. Existem notícias tranqüilizadoras de que a tão temida epidemia de cólera até o momento não atingiu os 5 milhões de desabrigados, mas não existe espaço para complacência. Com estoques de vacina contra cólera suficiente para apenas 200 mil pessoas, a prioridade é levar água potável para que se evite a explosão da doença. Cada dia sem água potável é um dia em que a epidemia pode se espalhar. Para nós, brasileiros, que estamos longe dos países devastados na Ásia, restam apenas duas formas de ajuda: a doação de alimentos por meio das embaixadas asiáticas no Brasil, e orações para o consolo de milhares de famílias.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado