Ensina-me a viver… continua ensinando

Ensina me a viverQuem não se lembra do filme Ensina-me a viver, que conta o romance de Maude, uma senhora de 82 anos, com Harold, um jovem de 18? No filme, Maude demonstrava que tinha espírito aventureiro, pilotava moto, vestia jeans. Enquanto Harold, apesar de ter apenas 18 anos, estava sempre deprimido, desanimado. Passava o tempo imaginando como seria seu próprio enterro. Afinal, qual dos dois era realmente jovem? Freqüentemente, a questão da “eterna juventude” está estampada na capa de revistas e nos fóruns da Internet. Há pouco lia um artigo que detonava o que o autor chamava de “ditadura da juventude”. É inegável que a palavra jovem nos faz pensar em vigor, mobilidade, raciocínio rápido, arejamento a novas tecnologias e idéias. Muitos confundem juventude com vigor físico, o chamado “corpo sarado”. Mas, e quanto a se ter uma mente jovem? Somos realmente jovens? Não acredito em receitas milagrosas. Mas desconfio de que se manter jovem significa ter-se interesse real pelo novo, uso de energia pessoal na busca de resultados e busca incessante de conhecimentos.

2 Responses so far.

  1. Dad disse:

    Nunca me esqueci da “caixa dos cheirinhos” da Maude! Quem me dera vir a ser uma velhinha como ela que respirava alegria de “descobrir” e que ensinou com a sua juventude de coração o Harold a viver. Foi uma filme muito lindo que gostava de rever. Lembro-me que um dos cheiros era o “fog de Londres” e quando lá vive e cheirava mesmo a nevoeiro lembrava-me daquela caixa mágica da Maude que nos transportava num mundo de fantasia para os nossos sonhos mais queridos.

  2. phentermine disse:

    phentermine

    soulful,mow articles:enquires,perjure inverse phentermine http://phenterminehclhere.blogspot.com/


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado