E Felipe, jogador do Flamengo, não deixou por menos. Ele lamentou o pedido do técnico Geninho para que os jogadores do Vasco chutassem o tornozelo dos adversários, caso ficassem parados com a bola. O futebol, além de ser a grande paixão nacional, sempre foi fonte de alegria, de esportividade e também um traço marcante do que faz um brasileiro ser brasileiro. É o “jeitinho” e a malemolência de um Pelé ou um Garrincha, de um Leônidas da Silva ou um Zico, sem deixar de mencionar a arte de Ronaldinho, o Fenômeno. O futebol do Brasil perde seu fascínio sempre que a truculência irrompe em campo. É bom que o meia Felipe tenha repudiado a orientação do técnico vascaíno. Aliás, o exemplo do craque flamenguista bem poderia ser seguido por todos os que aprenderam a admirar o futebol-arte do Brasil. Que tenhamos, a cada pensamento de violência, um pensamento maior de paz.

One Response so far.

  1. rebeca disse:

    naum era isso que eu queria, masmo assim é muito interessante


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado