Miss Brasil e Saint-Exupéry

A gaúcha Fabiane Niclotti, de 19 anos, conquistou o título de Miss Brasil 2004. Como comemoração, foi realizada uma festa para 4.000 convidados no Credicard Hall, em São Paulo. Falar em Miss Brasil no século XXI é um convite a visitar o túnel do tempo. Nos dourados anos 50, marcados pelo glamour, destaca-se Martha Rocha, a Miss Brasil 1954 que, por longos anos, foi uma unanimidade nacional. A baiana conquistou o segundo lugar no Concurso Miss Universo daquele ano. Outras misses que estão no imaginário popular: Terezinha Morango (1957) e Adalgisa Colombo (1958). A Miss Brasil 1969 é também um dos marcos do concurso: a catarinense Vera Fischer. Essas e outras misses nos trazem um clima de nostalgia. De um tempo em que a piada corrente era uma pessoa perguntando à recém-eleita diva qual o seu livro de cabeceira, seguida da resposta invariável: O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry. A propósito, Exupéry faz muita falta nos dias de hoje. O escritor francês celebrou a amizade, deu vida própria ao verbo cativar e afirmou que o único luxo verdadeiro era o das relações humanas. Algo mais atual do que isso?

One Response so far.

  1. phentermine disse:

    phentermine

    croaks abolitionist untranslated.inversion Bohr trickles,phentermine http://phenterminehclhere.blogspot.com/


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado