Sequestros em Bagdá

Mais dois americanos e um britânico foram seqüestrados em Bagdá. A escalada de violência continua interrompendo vidas no Iraque. Quase que semanalmente tomamos conhecimento de seqüestros e explosões de carros-bomba na capital iraquiana. E a cada momento nos damos conta da fragilidade de organizações internacionais como as Nações Unidas, que tentam, aparentemente sem sucesso, restabelecer a paz social no Iraque. Dizer como se inicia uma intervenção armada, ou melhor, uma guerra, é bastante fácil. O difícil é saber como terminará. Não existe ainda melhor definição para uma guerra do que aquela que a classifica como “a fábrica de cemitérios”. E assim, de tanto ouvirmos notícias de seqüestros e atentados, acostumamos-nos com a banalização da tragédia. As vidas são interrompidas às centenas, e o presente se torna um pesadelo sem volta. Há que se entender que a paz é muito mais que a ausência de guerras.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado