Vietnã e trânsito: algo em comum

Os homicídios e acidentes de trânsito estão matando os jovens brasileiros. Em 2002, ambas as causas foram responsáveis por 55,5% das mortes registradas no país entre pessoas de 15 e 24 anos. A taxa de mortalidade entre os jovens passou de 128 em cada grupo de 100 mil habitantes, em 1980, para 137 em 100 mil, em 2002. Os dados fazem parte do “Mapa da Violência 4”, divulgado pela Unesco em Brasília. É um número alarmante. A violência bate à nossa porta e interrompe a vida de nossos jovens. Parte dessa tragédia vem da grande disseminação de armas de fogo, e também da não observância das leis de trânsito. No Brasil, cerca de 50 mil morrem no trânsito a cada ano. É uma guerra do Vietnã por ano. As causas são bem conhecidas: motoristas imprudentes, apressados, quando não embriagados. O estatuto do desarmamento deve deixar de lado sua pompa e passar a fazer parte de nosso dia-a-dia. E isso começa quando depomos literalmente as armas. Se temos arma de fogo em casa, precisamos registrá-la em delegacia de polícia, além de, como cidadãos que somos, denunciar os que fazem de seus carros armas. Um bom começo é anotar a placa de quem dirige de forma irresponsável e informar ao Detran.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado