Nunca mais sem nos “Nunca mais um mundo sem nós, os povos indígenas.” Esse foi o grito de dezenas de nações indígenas ao longo de 2004 e continua sendo neste 2005. Na América Latina, o governo brasileiro passou a ter um papel de destaque e liderança sobre a questão indígena, mas os índios ainda são excluídos do processo político, ficam desprovidos de representatividade e mecanismos que possibilitem participação na vida política de seus respectivos países. Isso tem motivado grupos econômicos a investirem contra seus territórios e patrimônios. Enquanto volto a defender os indígenas, lembro do desabafo do índio Ochiwei Biano: “Os homens brancos são loucos porque pensam com a cabeça, enquanto nós pensamos com o coração”. É urgente que o governo brasileiro coloque a questão indígena como uma prioridade nas agendas de discussão com os governantes de toda a América Latina, de forma a se tornar exemplo para outros países. E é pensando com a cabeça que nos preocupamos com o sofrimento, que já dura meio milênio, de povos que, a bem da verdade, são anteriores ao próprio tempo. Reflitamos sobre isso.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado