A carta de ClariceEm 2003 o diretor Sönke Wortmann lançou seu filme de Das Wunder von Bern ( O milagre de Berna). O roteiro abordava os dois eventos que marcaram a história da Alemanha no pós-2ª Guerra Mundial: a queda do Muro de Berlim e a histórica vitória da Seleção da Alemanha na Copa do Mundo de 1954, que ficou conhecido como o milagre de Berna, numa referência à cidade suíça onde ocorreu o jogo. As lembranças do jogo, que deu à Alemanha seu 1º título mundial, são mostradas através da família Lubenski, que vive na pequena cidade de Essen-Katernberg. Mas, entre 1945 e 1954, não teria acontecido um outro milagre? E, de longe, será que não eclipsaria os dois milagres anteriores? Refiro-me à carta que a escritora Clarice Lispector (foto) escreveu em 2 de janeiro de 1947. Sobre o muro de Berlim, aquela estranha cicatriz plantada na alma da humanidade, somente seria destruído em 9 de novembro de 1989. Foi naquele dia que as autoridades comunistas da Alemanha Oriental informaram aos moradores que o acesso ao outro lado da cidade estava liberado. Por volta das 22h, uma multidão pacífica marchou em direção as passagens do muro de Berlim querendo ir para o outro lado. Os guardas da fronteira, sem saber o que fazer, levantaram as cancelas e deixaram o povo passar. Foi o começo do fim do Muro de Berlim, fato que representou dois importantes marcos: a reunificação alemã e o fim da guerra fria. Pois bem, na desolada cidade suiça a escritora Clarice Lispector escreveria sua carta a uma amiga que chama apenas que “Querida”. A carta cruzou oceanos e deixou atrás de si um vigoroso libelo sobre a condição humana, encantando tantos quantos a leram… Minhas reflexões sobre esta CARTA estão na seção ENSAIOS deste blog.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado