Desarmamento infantil é também necessário

Desarmamento infantil   tamb m necess rio12 de outubro, Dia da Criança. E logo logo estaremos sendo bombardeados por campanhas publicitárias dirigidas aos nossos baixinhos e baixinhas. É hora de pensarmos qual brinquedo será nosso presente. Isso, para os que têm condições de comprar um brinquedo em tempos bicudos, de falta crônica de dinheiro. Quero ressaltar uma boa notícia. Em 2001, a editora Abril em parceria com municípios e ONGs locais, lançaram a maior campanha de “desarmamento infantil” no País. De lá para cá, foram arrecadadas mais de 450 mil armas de brinquedos, em 190 cidades brasileiras. Os brinquedos são trocados por gibis e revistas infantis. Diadema, município do grande ABC, em São Paulo, é uma das cidades pioneiras no “desarmamento infantil”. Não dá para mensurar o quanto o desarmamento infantil tem responsabilidade pela redução da violência urbana, mas o sucesso da ação é sintomático. Para ficarmos só em um exemplo, em Diadema, 70% das instalações de escolas eram depredadas antes desse plano de segurança e, há quatro edições da primeira campanha, este percentual foi quase zerado. Outro ponto que merece destaque é o fato que atualmente, a campanha de “desarmamento infantil” é realizada em 45 cidades do país. Portanto, caro leitor, na hora de comprar brinquedos, passe ao largo dos aparentemente inofensivos revolveres de plástico. O desarmamento deve começar ainda na mais tenra infância. Tenho dito.

2 Responses so far.

  1. Marcia Kawabe disse:

    Eu não tenho filhos Washington, mas 3 sobrinhos em “fase” de brinquedos, hehehe! Mas também nunca gostei de presentea-los com armas de brinquedo, exceto uma vez que nos compramos uma pistola, daquelas bem coloridas, mas para espirrar água. Eu moro em Diadema, e sempre acompanho de perto essas manifestações a favor do desarmamanto infantil aqui na cidade. Eu acredito que medidas como essa, com certeza trará resultados futuros como aconteceu com a lei seca que também foi implantada aqui há alguns anos atrás, e tirar a cidade do estigma que sofre como sendo uma das cidades mais violentas em sp para se viver .

    Ahh, mais uma coisa: A Denise do Síndrome de Estocolmo está propondo uma blogagem coletiva na semana que vem sobre o referendo do dia 23. Eu pensei em citar aquele seu post para ela, já que ele reflete exatamente o meu pensamento, gostaria de saber se você concordo com isso .

    abraços :o)

  2. SUELEN SMP disse:

    EU ACHO UMA OTIMA ATITUDE DAS PESSOAS INICIAREM ESSA CONCIENTIZAÇAO ENTRE SEU MEIO E SUASS CRIANÇAS PRICIPALMENTE PORQUE O MUNDO HOJE EM DIA ANDA MUITO VIOLENTO!!!!


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado