Duas ou três coisas que aprendi na vida

Duas ou tr s coisas que aprendi na vida 01É isso mesmo. Uma delas é que almejamos nem mais nem menos que a felicidade. E vamos correr atrás dela ao longo da vida, até o último dia, até o suspiro. Aprendi que somos todos, sem exceção, partes de um todo único e indivisível. E que temos um destino comum a partilhar. Um destino que, por vezes, parece desesperador pois as notícias que nos chegam falam de uma catástrofe aqui, um homem-bomba sendo explodido acolá, e mais além, extensos bolsões de miséria proliferando como bactérias em lago estagnado. Mas sei que um destino glorioso nos aguarda. Sei que após essa tempestade de inédita violência que ora varre a face do planeta, dias melhores virão. Confio nisso, como confio que minha filha Lara (fotos), em seus joviais sete anos, herdará um mundo melhor. Um mundo desarmado (e olha que o referendo sobre o desarmamento no Brasil está chegando) e um mundo armado contra toda forma de preconceito (seja este de classe ou de cor). E aprendi que nada me é indiferente. Porque tudo o que é humano é do meu interesse. Aprendi que não posso mudar os outros, mas posso mudar a mim, o meu pensamento, a minha vontade. E também, quando coloco a cabeça no travesseiro, me vem uma enxurrada de boas imagens dos momentos felizes que vivi. São essas as duas ou três coisas que aprendi na vida. E isso me faz um bem imenso.

7 Responses so far.

  1. Karam Davis disse:

    Bom ter aprendido essas coisas. Afinal, é isso que nos faz continuar pulsando no mundo com as boas e perenes intenções. É porreta ser membro da nossa espécie, a espécie humana. Estou agora pensando sobre o que a vida me ensinou nesses parcos 25 anos… Valeu.

  2. Carlos Saboia disse:

    É, vira e mexe e o que podemos mesmo fazer é mudar a nós mesmos. Uma boa sacada e uma lição que aprendo com a leitura diária (quase diária convenhamos) que faço do seu blog. Aliás deveria haver uma campanha de divulgação de seus textos. São pérolas em meio as vendavais dos dias que correm. Falooou!

  3. Dad disse:

    “Somos folhas da mesma árvore e as ondas de um só mar e as flores de um só jardim”…mas custa entender uma coisa tão óbvia ser tão difícil pôr em prática! O bem de cada um está interligado com o bem de todos. Ninguém conseguirá ser feliz sózinho. Este conceitos de “todos somos um”, embora portando a beleza das nossas diferenças raciais, culturais, etc, é muito importante ser inculcado nas crianças pois pode ser que, nos tempos vindouros, o grande egoismo do mundo, possa tender a decrescer… e termos uma verdadeira humanidade solidária, coisa que hoje não existe…os mais ricos sufocam os mais pobres e assiste-se a tudo isto com a absoluta impunidade dos “senhores do mundo”…

  4. Angélica Florez disse:

    E aprendeu o que precisava ser aprendido. Agora você ja está no lucro. E eu aprendi que pelo menos posso mudar meu modo de ver o mundo, deixando ao largo as ações das AlQaedas da vida. Quero plantar apartir de amanhã só coisas boas. Quero ver tudo com novos olhos, olhos de fé no destino bom que um Deus bondoso nos reserva. Seu texto me fez muito bem. Sou fã do seu blog e vi que tem até uma comunidade no Orkut dos fãs do blog, vou me cadastrar agorinha. Obrigado Washington.

  5. Jonas Polli disse:

    Bela sua filhota. Espero que ela e meus filhos pequenos tenham um mundo melhor, é o mínimo que podemos esperar… Lara deve ficar orgulhosa do pai que tem…

  6. Andrea Bastos disse:

    Belo texto. Vou até colocá-lo em uma moldura. Tem um clima de Gabriel Garcia Marquez e um vislumbre que me lembra Fernando Pessoa. Aliás, ouvi os áudios em seu blog: muita sensibilidade, bom fundo musical, boa escolha dos textos. Vou ver como é que os copio para o meu computador. Não tem essa de direitos autorais né? hehehe

  7. Like what you have to say. Your blog makes good since to me.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado