Essas pequenas e breves alegrias

P ro no posto da vida para encher o tanque da f  no futuroHoje fui dar uma palestra em escola de Sobradinho, uma pequena cidade na periferia de Brasília. Meu tema: Mídia e Direitos Humanos. Amanhã vou falar para um grupo de mulheres no Plano Piloto de Brasília. Meu tema: A condição da mulher no mundo. Depois do chá com as mulheres sigo para o aeroporto. Destino: Manaus. Às vezes me sinto como estivesse enxugando gelo. Quanto mais enxugo mais há a ser enxugado. E assim os dias passam. Descobri que não sei fazer outra coisa, salvo semear a visão de um mundo mais humano, falar de direitos essencialmente humanos, argumentar que o pássaro da humanidade tem voado muito com a asa masculina e que se não mudar sua trajetória em breve sofrerá um duro revés e por aí vai. E aprendi que mesmo sem colher frutos muito ao alcance da mão, estes quando vierem, serão colhidos no futuro por outros. Me consola saber que, antes de mim, inúmeras pessoas foram suficientemente pacientes para plantar em Belém as suas belas mangueiras, em Natal os Baobás e no Rio de Janeiro, tantos Jacarandás. Algumas árvores produzem apenas flores. Outras dão sombra. Já outras se vestem de frutos. Quem plantou provavelmente já desconfiava que não iria se beneficiar nem do aroma e da beleza das flores, nem descansaria junto ao seu tronco apontado para o céu. E devia saber que dificilmente teria na boca a doçura do fruto. Pois é, são esses anônimos que me fazem atravessar Brasília e seguir para Sobradinho, podendo falar com crianças… famintas de esperança. E me faz aceitar o convite para encontrar com senhoras do high-society … famintas de um sentido para a vida. E depois, ainda me faz seguir para Manaus… para falar de um plano de cinco anos. No entanto, posso dizer com relativa segurança, que são essas pequenas e breves alegrias que terminam por completar o meu tanque da fé no futuro. Que pode ser meu e seu, leitor.

5 Responses so far.

  1. Que lindo texto!! Me emocionei! E através dessa visão… Me remoto p dias passados, em q fazia coisas e ñ pensava, q era minha plantação!!! Que hoje tenho colhido flores e frutos, e alguns espinhos e amargores! Mas, esse caminho, também tem me feito forte, firme, esperançosa de um mundo melhor. Valorizando com mais fervor cada momento de minha vida, dando importância maior á menores coisas, sutis, q as vezes, só o coração percebe,e quanta alegria me dá. Um abração, cidadão.

  2. Biro (Danilo) disse:

    Realmente é lindo, todo o trabalho, sua visão, o jeito que vc conta…
    Inspirador eu diria…
    Esse é um dos meus objetivos de vida… estou me envolvendo com o Anima Mundi, espero começar a dar palestras daqui um tempo, estudar muita coisa é minha realida agora…ainda bem que tenho pessoas como vc e o Luis Henrique pra me espelhar
    = )
    Vc não vem pra Campinas nunca??
    Estou morrendo por uma palestra sua.

    Abraço forte!

  3. Delaine disse:

    Washington, desde que uma colega me indicou seu blog (Lila) passo por aqui e por sempre estar com pressa não deixo nenhum comentário. Mas, quando li esse texto só lembrei de uma frase: Quero ser como vc quando crescer.
    Adoro ler o blog.
    Um abraço!

    Delaine

  4. Cleber dos Santos disse:

    É verdade querido Washington! Isso me faz lembrar o Criador, de Quem fomos feito a imagem e semelhança… Afinal Ele há muito tempo planta as sementes para podermos colher os frutos no futuro… Devemos seguir Seu exemplo. E nós já estamos numa época realmente especial, onde já podemos ver muitos desses frutos desabrochar, mas imagina o que há de vir daqui pra frente com os frutos de nossos trabalhos do presente…
    Seu Blog é muito bom! Estou acompanhando a cada conectada… Confesso que não sou muito de comentar, mas saiba que sou freqüentador assiduo… Parabéns Tom!

  5. Odette, Lucas e Arthur disse:

    Querido amigo,
    Voce não está absolutamente enchugando gelo. Pelo contrário, já foi e continua sendo fonte de inspiração para muitas pessoas, entre as quais me incluo. Outro dia ouvi uma fala na televisão que me inspirou muito. Dizia que cada ato nosso é como uma pedrinha que cai do topo de uma montanha e no caminho vai levando outras pedras até se tornar uma avalanche.
    Um grande abraço!


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado