Perpetuando um ciclo de miséria

Perpetuando um ciclo de mis riaCombater o trabalho infantil tem de ser diuturno. Crianças e adolescentes terminam sendo vítima da perversa exploração em vários estados do norte do Brasil. Tenho em mãos documento apontando que, segundo a Delegacia Regional do Trabalho do Amazonas, em 2002, aproximadamente 18 mil jovens, com idades até 15 anos, exerciam algum tipo de atividade no estado. Foi detectado que a maior parte da mão-de-obra infanto-juvenil no Amazonas concentra-se no setor informal da economia. De acordo com a delegada substituta da DRT, Gláucia Credie, enquanto em Manaus a maioria das crianças atua como vendedor ambulante, no interior, elas estão concentradas nas atividades rurais. É de fácil constatação que quando um menino ou menina começa a trabalhar, acaba perpetuando um ciclo de miséria. Pesquisadores concluíram que ao irem à casa de um pequeno trabalhador, eram grandes as chances de que seus pais também trabalharam quando crianças. E assim, o ciclo vicioso é mantido. Afinal, não podemos deixar de ver que as crianças e jovens são o maior tesouro de uma nação. Se você, leitor, tem conhecimento de alguma crianças sendo explorada no mercado de trabalho, não pense duas vezes, denuncie na primeira Delegacia Regional do Trabalho que encontrar!

One Response so far.

  1. luzdourada disse:

    Pelos visto não é só na Ásia… no Brasil, em Portugal… o problema subsiste!
    Incrivel e desumano!


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado