Lula e Bush se reúnem em Brasília

Lula e Bush em BrasiliaA cidade que sempre parece ser mais tranqüila que as outras, mesmo com tantos tornados políticos a torto e a direito, ficou ainda mais calma com o ilustre visitante, presidente da maior potência econômica-militar do mundo. Um encontro de desiguais. George Bush vem enfrentando manifestações hostis em boa parte do mundo – principalmente com o projeto meio que natimorto da ALCA, e também forte oposição em seu país: o peso da intervenção armada no Afeganistão e no Iraque ainda não foi de todo digerida. O presidente anfitrião enfrenta denúncias a cada santo dia e cada dia não santo também. O aparato de segurança fechou todo o hotel Blue Tree Alvorada, a poucos metros do Palácio da Alvorada. Caças supersônicos da Força Aérea Brasileira ficaram de prontidão. Até proibição de uso de celulares foi decretada. Pelo menos para os que se reuniram com os dois presidentes. No mais, Brasília continuou com seus amplos espaços, um céu mais azul impossível, amplas avenidas e imensos gramados recriando o mesmo clima bucólico, tão característico da chamada Capital do Futuro. Para contrastar com essa calmaria brasiliense, pensei nos dias atravessados que vivemos. E me vieram à mente imagens de destruição deixada pelos furacões Katrina, Rita e Wilma, infelicitando com crueldade, populações vulneráveis no mais rico país do planeta. Recordei de protocolos como o de Kioto, ainda por ser assinado pelos Estados Unidos. E não pude deixar de passar em revista as fotos de centenas de presos políticos em Guantânamo, presos sem o direito de ao menos poder falar com seus advogados. Olhando o azul de Brasília, qual infinita pista de pouso para discos-voadores, julguei ainda estar ouvindo o eco de explosões no norte e no sul de Bagdá, em Kirkut e em Basra. Aos meus botões, confidenciei baixinho: “A presente Ordem Mundial está realmente bem moribunda!”


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado