Am rica Latina crescer  menosNão vai demorar muito tempo para que até as crianças e os pré-jovens falem sobre PIB, taxas de juros, superávit primário, com total descontração. É que o noticiário diário sempre aborda tais expressões. Isto porque assuntos econômicos vieram para ficar nas pautas diárias das emissoras de rádio e televisão e também nos jornais impressos. O Banco Mundial acaba de divulgar que a América Latina vai continuar crescendo bem menos do que os outros países em desenvolvimento neste ano de 2005 e também nos próximos anos de 2006 e 2007. Bem sabemos que qualidade de vida, emprego pleno, acesso ao ensino superior e a um melhor sistema de saúde público dependem diretamente do crescimento econômico dos países. O que é de todo lamentável é a constatação de que aumenta o abismo a separar os países mais desenvolvidos daquelas nações em desenvolvimento. O relatório Perspectivas para a Economia Mundial da instituição, divulgado nesta quarta-feira, prevê uma expansão de 4,5% para a região este ano, comparada a um crescimento de 5,9% nos países em desenvolvimento e 3,2% para a economia mundial. Ou seja, pelo menos até o fim de 2007, teremos um mundo tragicamente dividido entre os muito ricos e os muito pobres. Em tempo: o relatório do Banco Mundial não traz previsões por país, mas coloca o Brasil entre os que podem ser afetados por uma possível elevação da taxa de juros nos países desenvolvidos. Será este o mundo que todos nós desejamos? Fica a questão no ar.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado