Um jardim para carregar no bolsoGozar da companhia de um bom livro é um luxo e tanto! São os bons livros que nos apresentam mundos novos, vidas novas, idéias e ideais novos. Os bons livros são terapêuticos: acalmam a alma e trazem um alegria espiritual profunda. De minha parte, tenho muito a agradecer pelos autores com quem tenho cruzado ao longo da vida. Aprendi com Charles Dickens (David Copperfield) a saborear uma história bem contada e com Clarice Lispector (A descoberta do mundo) a decifrar os sinais luminosos da introspecção. Com J. D. Salinger (O apanhador no campo de centeio) vivi as inquietudes do hoje velho Holden Caulfield. Com Zé Mauro de Vasconcelos (O meu pé de laranja lima) descobri o valor das amizades eternas e puras. Com Michel Quoist (O diário de Dany) comecei a questionar o sentido da vida, seus desafios em tempos adolescentes. Aprendi com Irvin Yalom (Quando Nietzsche chorou) me debrucei – como podemos nos debruçar no parapeito de uma janela – sobre as milenares questões existencialistas. De cada autor tenho buscado o gosto pelas palavras e as tramas por elas tecidas. Aprendi com Thomas Carlyle que “um bom livro é a mais pura essência da alma humana”. Fiquei indignado com a sorte do Capitão Dreyfus, pois o texto ´J´Accuse!´, de Emile Zola, calaram fundo em mim ao colocar seus esforços inteelctuais a serviço de um inocente, injustamente acusado, injustamente expulso, com honras militares e tudo, do Exército Francês e injustamente confinado na Ilha do Diabo. Tudo isso na alvorada do século XX! E também – é bem verdade! – cometi os meus livros: naquele em que tracei ´O Despertar dos Anjos´, podia sentir em sua longa elaboração o roçar de asas místicas e no ´Cuba cantando em lágrima viva´ mergulhei de cabeça na rica história de inconformismo e de ideais libertários da ilha de Fidel. Foi quando ouvi os gemidos de povos alquebrados e insones. Pois bem, nada como um bom provérbio chinês sobre o assunto: Um livro é como um jardim para se carregar no bolso.

6 Responses so far.

  1. Lila disse:

    Washington,
    Estava com saudade de passar aqui e começar bem meus dias…
    Um dia viverei de sonhos, esperanças e acreditarei na bondade dos homens sem me preocupar em ser taxada de alienada, sonhadora… Quero pensar mais com o coração como fazia a um tempo atrás. Pena que me deixei machucar demais e meus olhos já se cobriram pelo medo, desrespeito, egoísmo.
    Mas, ainda resta um desejo em meu coração de um dia ser como vc.
    Abraço e ótimos dias!
    Ah, vou ver se arranjo tempo pra ler mais.

  2. Marcia Kawabe disse:

    Washington, por falar em livros eu me interessei por aquele que tem na sua página sobre viagens, mas não sei como adquirir. Eu o encontro nas grandes livrarias, por exemplo? Adoro livro sobre viagens 🙂

    Abraços

  3. Meu amado irmão, e querido escritor…

    Não imagina minha alegria e emoção, quando, chegando em Ribeira do Pombal/Ba, recebi de presente pelo correio, um exemplar do seu livro “O Despertar dos Anjos”… Eu recentemente havia chegado ao sertão da Bahia, e a terra hirta e o sol escaldante e claro, me anunciavam que a chuva não visitava aquele chão á oito meses… A terra seca contrastava com a doçura do coração daquele povo amado, e com a alegria e gentileza daquelas pessoas que se esqueceram de associar dificuldades e desafios com tristeza… Naquele inicio da minha então nova vida, foi muito importante ter a companhia dos teus anjos, meu amigo… Eles, que chegaram cheios de amor, e trouxeram consigo a tão abençoada chuva… Sim, por que trazida pelas asas dos teus amigos Anjos, a chuva retornou ao sertão…
    Amigo, sou tua fã, você sabe disso… Adoro teus livros, e estou amando cada artigo publicado no teu blog, que tenho a oportunidade de ler!
    Torcendo sempre por você e sua família, deixo muitos abraços!!!

  4. Cleber dos Santos disse:

    Sou muito grato por ter o costume de ler, é algo muito importante na minha vida, senão, na minha existência.
    Mas infelismente não ganhei este gosto ainda na infância, apenas na adolecência, quando uma amiga emprestou-me um Livro de Sidney Sheldon… Aqueles romances norte americanos exagerados… Por incrível que pareça foram eles que me deram o gosto pela leitura.
    Hoje são mais os meus preferidos, mas que eu sou grato por aqueles livros de Sidney, eu sou…

  5. È verdade! Cheio de cores, sons do vento, diversidades…Personagens, movimentos e diferenças!!! E com seus tesouros ocultos.

  6. Flip disse:

    I haven’t seen GET SMART in decades but I used to love the show soooo much as a kid! I even read the noisnvzatiole, which were plentiful at the local Salvation Army but are now long since thrown away…


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado