A noite em claro: eles não pegam no sono

A noite em claroQuem tem filhos pequenos, seja pai ou mãe, sabe o que significa passar a noite em claro porque o sono do filho não vem. Estas ocorrências, aparentemente banais, geram irritação, cansaço e mesmo sentimento de culpa. Mas os pais terminam buscando fórmulas rápidas, eficientes, para adormecerem seus pequenos herdeiros. O assunto não é novo e rende sempre uma boa quantidade livros e manuais. Pois bem, o tema virou tese de doutorado que está sendo realizada pela pediatra, psicoterapeuta e especialista em sono Eduardina Telles Tenenbojm. O estudo está sendo conduzido no departamento de neurologia clínica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e busca investigar o elo entre a relação mãe-bebê e a dificuldade de dormir apresentada por crianças com até dois anos de idade. Mas a médica é enfática em um ponto: “Nos bebês, o uso de medicação para insônia não é indicado.” O objetivo da pesquisa é encontrar fórmulas de intervenções breves, como consultas terapêuticas, que forneçam resultados consistentes. Ela afirma que mães que enfrentaram situações de luto ou perda recentes são atingidas com mais freqüência pela falta de sono dos filhos. Esperemos para 2006 os resultados. Uma coisa é certa: as mães e os pais desde logo agradecem aos esforços acadêmicos da Dra. Eduardina Telles. Voltaremos ao assunto, porque uma boa noite de sono é… questão de direito.

4 Responses so far.

  1. Marcia Kawabe disse:

    Poderiam criar um floral de bach (feito com conhaque) pra ajudar os bebes adormecerem, ho ho ho!

    Os papais e mamães agradecem 🙂

    abraços

  2. Realmente esta é uma das questões mais delicadas que envolvem a relação mãe,pai,irmãos e bebê que não dorme. A casa toda sofre alteração na dinâmica de vida, nas relações, pois essa rotina promove a irritabilidade, o desgaste físico, emocional, a falta de disse:

    Realmente esta é uma das questões mais delicadas que envolvem a relação mãe,pai,irmãos e bebê que não dorme. A casa toda sofre alteração na dinâmica de vida, nas relações, pois essa rotina promove a irritabilidade, o desgaste físico, emocional, a falta de “tempo”, “paciência”, uns com os outros…, por mais que haja cumplicidade,apoio entre o casal e filhos, é muito difícil, ainda é mais forte o papel materno.
    O importante é tentar manter o amor entre todos,a harmonia,e daí conseguimos partir para mais um dia…uma noite…daquelas…
    Seria fundamental encontrar uma alternativa para evitar os sofrimentos que acompanham esta linda fase do bebê, que se torna na maioria das vezes…um grande transtorno, por mais que se deseje o contrário.
    Todos sofrem, inclusive o bebê, que carrega uma sensibilidade aguçadíssima, sentindo-se com certeza “um pequenino fardo”…
    Beijinhos às famílias que vivem a situação…é passageira e com certeza deixará saudades. Aproveitem de qualquer forma, esta experiência é única!

  3. PRISCILA DIZ:ACIMA COMETI UM ENGANO...NO NOME SAIU PARTE DA MENSAGEM... disse:

    Correção de comentário anterior,acima.

  4. Doc disse:

    hola quisiera decirte que me gusta mucho la manera como cocinas mucha de tus recetas se parecen a las mias soy de colombia &#pe;03.82ro en este caso quiero preguntarte si sabes hacer arroz con coco?


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado