Que mundo deixaremos para nossos descendentes?

Que mundo deixaremos para os desecndentesQue mundo deixaremos para nossos descendentes? Nem falo sobre os netos e bisnetos, falo mesmo para os nossos filhos. A mudança global do clima é resultado do aumento da concentração na atmosfera dos chamados gases de efeito estufa (GEE), dióxido de carbono, metano, óxido nitroso e outros gases de origem industrial. Há evidência científica que, pelo menos parcialmente, o aumento de cerca de meio grau Celsius na temperatura média da superfície do planeta observado nos últimos 150 anos já seja devido a emissões de gases de efeito estufa pelo homem. Prevê-se que, no próximo século, esse aumento poderá chegar até 3 graus Celsius, acompanhado de um aumento do nível médio do mar de cerca de meio metro. A preocupação internacional com esse fenômeno conduziu à negociação, entre 1990 e 1992, da Convenção das Nações Unidas sobre Mudança do Clima. Este tratado, que hoje conta com a adesão de mais de 180 países, foi aberto para assinatura durante a Eco-92, no Rio de Janeiro. A Convenção reconhece que se trata de um problema que envolve todos os países, mas que a responsabilidade histórica é dos países industrializados. Portanto, estes países devem reduzir o nível de emissões ao passo que os países em desenvolvimento devem crescer com a adoção de medidas para o desenvolvimento sustentável e utilização de fontes de energias limpas. De lá pra cá, temos o Protocolo de Kioto, ainda patinando, afinal os maiores poluidores do planeta, dentre os quais, os Estados Unidos, continuam à margem do processo. Continua sem resposta a principal questão: Que mundo deixaremos para nossos descendentes?


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado