Cartas pelo correio – coisa de museu?

Carta coisa de museuMais um pouco e já não lembraremos o que significa escrever uma carta, subscrever o envelope, colar o selo e levá-la ao correio. Isso porque com o advento do correio eletrônico, devido à sua facilidade de acesso e uso e também à possibilidade de rápido envio e rápida resposta, a imagem da carta viajando dois ou três dias pelo mundo parece já ser coisa de um passado remoto. Pois bem, metade da comunicação escrita na Grã-Bretanha é feita atualmente por email. Isto foi indicado por um por um estudo encomendado por grupos de mídia britânicos, incluindo a BBC, e divulgado nos últimos dias. Segundo o levantamento, além do email, outro meio eletrônico em alta é a mensagem por celular, representando 29% da comunicação escrita. Outra informação que surpreende que apenas 13% das comunicações é feita por meio de caneta e papel. A situação é ainda mais extrema quando se observa apenas os jovens com idades entre 15 e 24 anos. Nesse caso, apenas 5% da comunicação é feita por meio da escrita. Já entre os mais velhos, com mais de 60 anos, o papel e a caneta permanecem populares, sendo usados em 39% de suas comunicações por escrito. No entanto algo preocupante é o desleixo demonstrado com o uso da língua. Os meios eletrônicos criaram uma linguagem paralela, abreviada e um ambiente propício para o uso de gírias e grafias, vamos dizer, apressadas. Uma coisa é certa, conhecer e saber usar o idioma é uma questão de identidade cultural e mais, de identidade nacional. Voltaremos ao assunto.

One Response so far.

  1. Jhullyanna Cintra disse:

    Querido Tom,

    Realmente neste mundo aluciante que vivemos, muitos perderam o habito das cartas, isto é triste pois parece que falta cuidado com a lingua, com o poder das palavras!

    Uma dica de um livro que estou lendo que é muito bom que fala sobre a linguistica e seus fenomenos no Brasil é “O preconceito linguistico” .. eh um tema bastante atual e que a maioria das pessoas sem perceber tem este tipo de preconceito!

    Abraço


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado