Bebe contaminado com HIVUm hospital de Pouso Alegre (MG) foi condenado pela 13ª Câmara Cível do TJ (Tribunal de Justiça) de Minas a indenizar os pais de um recém-nascido que recebeu transfusão de sangue contaminado pelo vírus HIV enquanto estava internado no berçário, por complicações sofridas no parto. Devido à contaminação, a criança teve que ser internada diversas vezes –inclusive com crises de pneumonia– e morreu aos sete anos. De acordo com o TJ, a mãe havia sido internada com sintomas de parto normal e, devido à demora na evolução do quadro, os médicos acabaram retirando o recém-nascido à força e, por isso, ele sofreu paralisia cerebral. Durante os 51 dias em que permaneceu internado, o bebê foi submetido a duas transfusões de sangue. Já no berçário, o bebê começou a apresentar sintomas da Aids como “mancha avermelhadas na pele, gânglios desenvolvidos, febres altas e constantes”, ainda segundo o TJ. Pouco mais de um ano depois, ficou constatado que o recém-nascido estava contaminado. Para os desembargadores do TJ, porém, o hospital “deveria ter a obrigação de oferecer segurança e qualidade na prestação de seu serviço”. Ficou determinado que o hospital pague uma pensão mensal de um terço do salário mínimo desde a data em que a criança foi contaminada até quando ela completaria 25 anos. O hospital ainda deverá pagar R$ 60 mil por danos morais. Mas a batalha ainda não terminou, pois a decisão do Tribunal de Justiça cabe recurso. É esperar para ver.

One Response so far.

  1. Maíra disse:

    Um Absurdo!!!
    Os profissionais de Saúde devem ter mais respeito com a Vida!!
    Não somos simplesmente objetos de trabalhos deles!!!


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado