Patentes: o futuro não começa no futuro

PATENTES2Usar a criatividade, a inteligência e a imaginação dizem muito do futuro de um país. Vale destacar a frase inicial de uma palestra do professor de Direito John Fitzgerald Duffy, da Universidade George Washington, no seminário A propriedade intelectual no mundo digital, ocorrido esta semana. A frase era: “Uma patente pode deixar você rico e famoso”. E foi além ao afirmar de forma descontraída que que “empresas pequenas precisam de patentes para ter alavancagem de grande porte”. Já o presidente da megacorporação Sun, Jonathan Schwartz afirmou que acreditar no potencial dos países em desenvolvimento, sobretudo no Brasil. “Se a Califórnia inventou o Google, o Brasil também pode”. Sobre a contradição, muitas vezes aparente, entre o software livre e o software proprietário, Duffy afirma que países e empresas sofisticadas não podem se posicionar de maneira maniqueísta em relação ao assunto. Para exemplificar, ele mencionou o caso da IBM que, segundo ele, recebe 1 bilhão de dólares somente com patentes e é uma das empresas que mais apóiam os sistemas de código aberto. O ponto é que o Brasil está perdendo amplas oportunidades por não estar explorando patentes. E o futuro não começa no futuro, mas sim, começa, hoje, com ações e programas aptos a enfrentar novos desafios, principalmente na área da tecnologia de ponta.

One Response so far.

  1. Renê Couto disse:

    “O ponto é que o Brasil está perdendo amplas oportunidades por não estar explorando patentes”.
    Exatamente!

    Fora isso o brasileiro também tem uma tendência(horrível) a maximizar nossos pontos negativos e minimizar os positivos.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado