embalagens de remedios e chicletes devem ser diferenciadasMuitas vezes medidas simples ajudam – e muito – a melhorar a saúde da população infantil. Há que se ter no Brasil uma lei que proíba os fabricantes de balas, chocolates, confeitos e refrigerantes de embalar seus produtos em embalagens similares às utilizadas para medicamentos. Tal medida poderia diminuir significativamente o elevado número de acidentes provocados pela ingestão indevida de medicamentos. A maioria das vítimas desse tipo de acidente são crianças que confundem os medicamentos com confeitos. Isso devido à semelhança entre a aparência de um inocente chiclete e a cápsula ou a drágea que embala um psicotrópico ou qualquer outro medicamento potente. Pois ambos têm o mesmo tamanho, são coloridos, e muitas vezes vêm embalados em cartelas ou cartuchos de cartolina muito parecidos. Principalmente na ótica de uma criança de 3 ou 5 anos de idade. Qualquer ação que objetive diminuir os riscos à saúde das pessoas e das crianças, em particular, deve ser o total apoio da sociedade. As crianças de hoje herdarão o mundo que ora temos e elas terão um desafio imenso para construírem uma sociedade fundada na unidade do gênero humano, livre dos preconceitos e das guerras, e que aprecie da bela e imensa diversidade humana que temos ao nosso dispor.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado