Lei para evitar espancamento de crian asO jornalista Luiz Lobo fez referência a um caso ocorrido nos Estados Unidos, em 1871. Uma menina chamada Maria era espancada quase diariamente pelos pais adotivos. A interferência dos vizinhos e da Polícia resultava em novos espancamentos, uma vez que não havia lei capaz de proteger as crianças. Foi preciso que um advogado recorresse à Lei de Prevenção de Crueldade contra Animais. A Justiça reconheceu que Maria, sendo do reino animal, merecia proteção legal contra os maus-tratos. Por isso ainda sou otimista: porque há dois anos existe no Brasil lei que pretende proteger as crianças, que se chama Estatuto da Criança e do Adolescente. Vamos compartilhar com os ouvintes o que diz o seu artigo 4o.: “É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do Poder Público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.” Lamentável que ainda hoje seja necessária uma lei para proibir o espancamento dos filhos por parte dos seus pais ou protetores legais.

3 Responses so far.

  1. Ana Nélo disse:

    Prezado Tom,

    Nem sempre tenho bons comentários ou inspiração para escrever (…) até por que se escrevo parece que faço um tratado, mas os parágrafos que seguem refletem as minhas preocupações com as crianças e os Idosos.

    Particularmente, concordo com os devidos cuidados das Crianças. São duas categorias de idade que procuro respeitar cuidar e tratar bem: As crianças e os Idosos. Os idosos por que de uma forma ou de outra já deram sua contribuição à sociedade, e suas aposentadorias não cobrem metade dos remédios que necessitam, ou melhor não permitem que tenham uma alimentação digna com as fragilidades de saúde. O que a imprensa tem revelado são abrigos sujos sem condições de uso, de higiene enfim uma miséria total. “Na África quando um idoso morre eles lamentam muito por que é como se tivesse partido uma biblioteca (Já repeti esta frase antes). E no Brasil?

    Vamos para o tema: CRIANÇAS. Vendo estar reportagem de um pai que espanca sua própria criança fico sem sugestões, o que fazer? Se for para ruas terminarão nas drogas, se for para FEBEM, escola de graduação no crime, até que a imprensa e a justiça provem em contrário do que é retratado na imprensa falada e escrita.

    E agora? O estatuto da criança regulamentou os direitos de alimentar e educar com dignidade… Mas, na realidade Brasil: o que se pode fazer com estas crianças que são espancadas no seio da família? Levar para onde? Educá-las aonde? ‘

    Lendo a última frase do texto que ora comento fiquei diveras preocupada(…) lamentávelmente ainda hoje se torna-se necessário se legilar para não bater na criança a minha preocupação é onde recuperá-las?

    Retomando meu texto inicial, respondi a preocupação com os idosos, mas com as crianças, passo a escrever agora: As crianças de hoje deverão serem também os provedores da PAZ MUNDIAL NUM FUTURO PRÓXIMO. Se elas não são tratadas bem como poderão tratar bem seus semelhantes? Ainda mais serão elas a conduzirem as nações, a promoverem a justiça social…

    Mas, como? Senhores leitores deste blog, ajudem-me a encontrar soluções……..
    Abraços,
    Ana Nélo

  2. Ivo Samel disse:

    “Se for necessário uma lágrima de criança para salvar o mundo, que este se perca”.

    Este pensamento está meio exagerado mas deixa muitas coisas para a gente pensar.
    Não sou psicólogo, nem educador, apenas um pai.
    Tenho dois lindos filhos, agora adultos que, quando crianças, diziam para todos seus amigos que nunca levaram uma palmadinha dos pais.
    Sempre defendi que uma criança não poderia sofrer qualquer tipo de agressão física ou psicológica que possa trazer sérios danos para aquelas cabecinhas tão inocentes.
    Uma criança pode ter seus limites determinados com voz firme, conversar, carinho, amor, entendimento. Elas são mais inteligentes do que sempre imaginamos. Elas querem atenção o tempo todo, amor. Só isto.
    Muitos pais acham que uma palmada é um bom castigo para não fazerem mais aquilo que acham errado. Não é. Esta palmada vai ficar registrada por toda a vida na memória daquela criança. Mais tarde, pacientes nas cadeiras dos psicólogos.
    Nossos pais foram rudes conosco, devemos perdoá-los sim mas já estamos no século 21 e não justifica mais agirmos como eles.
    Até nossos índios, chamados de selvagens pelos civilizados, não batem nos seus filhos, nas suas crianças. Eles nem podem trabalhar. Somente brincar. Talvez seja por isto que os indiozinhos gostam tanto de escutar os mais velhos. Porque sempre foram respeitados.
    Ivo Samel
    Administrador

  3. Giovanna disse:

    sou criança e se quer saber, essa lagrima ja caiu e eu amo os animais.imagina, tem gente matanto o BICHO POR AI E TEM GENTE QUE ESTÁ USANDO PELES? ESSA LÁGRIMA QUE ESTA CAINDO AGORA DE MIM VALE POUCO, NAO PODE AJUDAR, MAS EU SEI, SÓ SEI QUE QUEM MALTRATA OS ANIMAIS…. SÃO PIORES QUE O´PRÓPIO DIABO. COMO PODE MATAR OU MALTRATAR UM ANIMAL? QUANDO EU VI UMA TOURADA QUE EM CERTO PAIS É ESPORTE PELA PRIMEIRA VEZ, NAO PAREI DE CHORAR . E EU GOSTO MUITO DE


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado