Banindo armas de brinquedoNos anos de 1970 a Unesco afirmou que “se é na mente das pessoas que nascem as guerras, é nas mente das pessoas que devem ser erigidas as defesas da paz“. Pois bem, uma boa notícia dá conta que a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou recentemente o Projeto de Lei 4479/04, que proíbe a venda de armas, munições e explosivos de brinquedo para crianças ou adolescentes. A proposta foi aprovada com emenda apresentada pelo relator, Coronel Alves, para tornar mais clara a proibição. A emenda esclarece que os brinquedos a serem proibidos são aqueles que imitam as armas de verdade. A proposta proíbe a fabricação e venda de qualquer tipo de arma de brinquedo. O relator observou que as propostas têm uma finalidade pedagógica, que é a de afastar das atividades de lazer das crianças brinquedos que podem incitá-las à violência. Pesquisas científicas confirmam o que há muito já se sabe pelo senso comum: as armas de brinquedo incitam à violência e contribuem para desvios no comportamento de crianças e jovens. A proposta, que tramita em caráter conclusivo, será analisada agora pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara Federal. Se nossas crianças e adolescentes forem adequadamente educadas, capacitadas em valores espirituais, éticos e morais, teremos dado uma valiosa contribuição para uma sociedade livre do vírus da violência. Afinal, tudo começa ainda na primeira infância, jpa nos avisam os pedagogos e psicólogos ao longo das décadas.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado