HIV chegando nas aldeias indigenas

HIV chegando nas aldeias indigenasA proximidade com áreas urbanas é a principal causa de infecção da Aids nas comunidades indígenas. Existem estados brasileiros que já registram surtos da doença entre os índios nessas condições. Segundo documento do Departamento de Saúde Indígena da Funasa (Fundação Nacional de Saúde), adolescentes e mulheres jovens são os indivíduos mais vulneráveis. Desde 1987, já foram notificados 43 casos de gestantes indígenas portadoras do vírus HIV. Uma das deficiências no enfrentamento ao problema é a carência de pessoal e estrutura nos postos e centros especializados no atendimento às aldeias, em geral mantidos pelo Governo Federal que para o período de 2004-2006 alocou apenas R$ 16 milhões no Orçamento da União. Vários fatores levam os índios às margens dos centros urbanos ou às periferias. A entrada em suas terras de projetos econômicos de grande impacto ambiental, como mineradoras, madeireiras e a construção de estradas e ferrovias, são alguns exemplos. A migração em busca de serviços de Saúde e Educação é outro fator. O trânsito permanente de jovens indígenas entre as aldeias e as cidades é o caminho para a transmissão do HIV. Segundo a a psicóloga Henriette Ahrens, coordenadora adjunta da unidade de prevenção do Programa Nacional de DST/Aids do Ministério da Saúde, “muitas vezes a migração consiste em grandes contingentes de homens, que transitam entre os dois meios e têm contato com redes de profissionais do sexo”. A sociedade brasileira tem uma dívida imensa a pagar pelos inúmeros males e crimes cometidos ao longo dos séculos contra as populações indígenas. E essa dívida precisa ser paga o quanto antes. Afinal, acredito que os índios poderão, um dia, ser a causa da iluminação do mundo.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado