Superar preconceitos com a s ndrome de DownAté há bem pouco tempo, as pessoas que nasceram com a síndrome de Down estavam, na maioria das vezes, condenadas a viver à margem da sociedade, internadas em instituições para doentes mentais e consideradas como a vergonha da família. Hoje, a situação mudou muito. A convivência com as pessoas que têm Down é uma realidade e cada vez mais presente. Esta convivência é benéfica para todos e não só para as pessoas que nasceram ou adquiriram uma deficiência, uma população que corresponde, segundo a Organização Mundial da Saúde, a 10% dos habitantes do planeta. A mesma porcentagem é atribuída à população brasileira: ou seja, 17 milhões de brasileiros têm algum tipo de deficiência física, sensorial ou mental, ou seja, uma população equivalente à região metropolitana de São Paulo. Dentro dessa população, a literatura médica trabalha com uma estimativa de 300 mil pessoas que formariam a população que têm a síndrome de Down no Brasil. Muitas pessoas, inclusive médicos, acreditam que esse número é subestimado. Como até há pouquíssimo tempo esta fatia da sociedade era quase invisível, praticamente ninguém a via ou convivia com ela. O ponto é que há ainda muita desinformação sobre a síndrome de Down. Superar preconceitos e integrá-los na vida da sociedade é uma questão de direito.

22 Responses so far.

  1. Lurdinha Danezy disse:

    Gostaria de indicar o livro:
    “Cadê a síndrome de Down que estava aqui? O gato comeu… “ O programa da Lurdinha.
    3ª Edição. Editora Autores Associados
    Elizabeth Tunes e L Danezy Piantino
    Lucio, filho de Lurdinha, nasceu com síndrome de Down. Esta anomalia genética, a trissomia do cromossomo 21, é comumente associada à deficiência mental. Neste livro, as autoras adotam uma visão diferente. Descrevem as ações de Lurdinha procurando mostrar que pessoas com síndrome de Down podem desenvolver-se de modo muito próximo ao da normalidade.
    O livro emociona, propõe questionamentos, indica alternativas. Traduz indignação ante o preconceito e luta contra ele, ao mesmo tempo que traz a esperança de bani-lo pela demonstração de que a deficiência mental na síndrome de Down é socialmente construída.
    Com determinação, amor e crença nas competências do filho, Lurdinha escreveu para Lucio uma outra história, que sintetiza assim: “No princípio, era o verbo aceitar, o verbo amar, estimular, mediar, ensejar, confiar, lutar e por aí vai… Acabei por constatar que me preparei para conjugar esses e outros verbos que, devidamente empregados, culminaram nos adjetivos normal, esperto, inteligente, capaz, feliz e por aí vai… a ação conduz à qualidadeLucio, filho de Lurdinha, nasceu com síndrome de Down. Esta anomalia genética, a trissomia do cromossomo 21, é comumente associada à deficiência mental. Neste livro, as autoras adotam uma visão diferente. Descrevem as ações de Lurdinha procurando mostrar que pessoas com síndrome de Down podem desenvolver-se de modo muito próximo ao da normalidade.

  2. Lisiane Medeiros disse:

    Boa tarde! Estou grávida da Luísa com síndrome de down e gostaria de entrar em contato com a autora deste livro maravilhoso que acabei de ler.
    Gostaria de saber do Lucio, que deve estar com 11 anos!
    Gostaria de conversar um pouco sobre esta ansiedade de acertar que tenho, quando a Luísa chegar.
    Também sinto que ainda há preconceito e dificuldade com as escolas.
    Sinto que essa missão de luta pela minha filha e suas conquistas será árdua, mas que vencerei.
    Muito Obrigada desde já.
    Lisiane Medeiros

  3. deborah disse:

    ola Boa noite, ao decorrer de uma pesquisa surgiu a grande duvida, quero deixar bem claro que nao é preconceito nao é apenas uma duvida, alguem ja ouviu relatos de indios com sindrome de down?
    por favor se alguem tiver uma materia, reportagem ou algo falando sobre isso envie ao meu e-mail, ficaria grata.

    obrigado

  4. Raquel disse:

    Boa noite, gostaria de tirar uma dúvida, a síndrome de down é uma deficiência mental?

    Desde já agradeço.

  5. Karla disse:

    Bom dia!!!
    Gostaria de saber onde posso encontrar este livro, e tambem solicitar indicações de outro livros, pois estou començando a planejar meu TCC no curso de Ed.Fisica e predento me especializar para trabalhar com crianças PNees.

    Obrigada

  6. Danielle disse:

    Estou adotando uma menininha que tem SD(mas isso é um detalhe, comparado a felicidade q esta trazendo junto com ela para nosso lar).
    Gostaria de saber como posso comprar o livro. Moro fora do Brasil.
    Ja li muitas coisas “mais do lado cientifico” sobre SD, mas aqui onde moro nao encontro nada do ponto de vista emocional, ou uma literatura do ponto de vista do dia a dia, como parece ser esse livrinho ” Cade a SD q estava aqui…o gato comeu…:O programa de Lurdinha”.
    Adoraria obter o livro o mais rapido possivel. E tambem, indicaçoes de outros na mesma linha.

    um abraço
    Danielle

  7. sandy disse:

    mçlkfgmpxlkmnpzokdf

  8. Dirceu disse:

    Oi, Bom Dia!

    Meu Chamo Dirceu Ricco, estou estudando na escola sobre alteracoes cromossomais, e me deparei com uma duvida, gostaria d contar com ajuda de vcs…
    Uma mulher q possui sindrome de Down pode engravidar normalmente ou msm um homem com a msm sindrome pode ter filhos? se a resposta for sim os filhso dessas pessoas (distintamente) possui maior predisposicao em apresentar a mesma sindrome?
    Desde de ja agradeco a atencao e colaboracao,
    Abraco

    Dirceu Ricco

  9. argelita pacheco disse:

    Gostaria de saber, onde encontroeste livro; pois gostaria de adquirí-lo para o Natal.

    Grata pela atenção, Argelita

  10. Cristiane disse:

    Boa noite, eu estou gestante de 7 meses, e gostaria de saber, como posso saber se meu bebê não tem sindrome de down? Eu tenho 35 anos…
    Obrigada, desde já agradeço

  11. ingrid disse:

    BOA TARDE

    O FILHO DE UMA PESSOA COM SD PODE TER SD TAMBEM?

    OBRIGADO ANTECIPADO

  12. Maria das Graças Rocha disse:

    Emanuel, meu filho com 20 anos tem SD. Nós o amamos muito e somos muito felizes com ele. Me sinto privilegiada por ter recebido de Deus, tão belo presente. Gostariam que que têem filho com SD, aceitem como eu aceitei.

    Beijos. Graça.

  13. Maria das Graças Rocha disse:

    Tambem quero saber onde encontrar o livro de Lourdinha. Qualquer novidade, envie para meu e-mail.

    Obrigada.

  14. Eliane disse:

    Sou de estudante de Pedagogia ,estou fazendo pesquisa para fazer meu TCC e gostaria de indicações de textos para fazer minha monografia que é sobre a inclusão de portadores de sindrome de down na escola.

  15. Marcia disse:

    Tenho uma linda filha de 12 anos com SD.Acho que não ha nada mais lindo que o amor dessas crianças especiais são sinceras e puras….Ai eu pergunto será que são elas especiais? Ou nos que somos especiais por termos este previlegio de aprender a cada dia com essas crianças? Acho que todos nos deveriamos ter um SD so assim as pessoas vão se amar mais e se odiar menos. Obrigada bjs

  16. DURVALINA disse:

    OLÁ, TENHO 27 ANOS SOU MÃE DO BRENNO DE 2 ANOS E 7 MESES PORTADOR DE SD ELE É A CRIATURA MAIS PURA,MAIS CARINHOSA QUE EU JÁ CONHECI, SINTOME HONRADA DE TER SIDO ESCOLHIDA POR DEUS PARA SER SUA MÃE E PODER APRENDER MUITO COM ELE. eU O AMO MUIIIIIIIIIIIIITO!

  17. Aline Alves-jmj disse:

    Sou professora, em uma instituição social; no dia-a-dia fico triste de ver o quanto as crianças já vem de casa cheias de minha mae ne disse…
    percebo que a missão doprefessor e educar e mostrar que o deferente e belo.

  18. tatiana disse:

    minha filha e sidrome down ela e muito especial

  19. Rita de Cássia Longhini Rodrigues disse:

    03/06/2008

    Olá,
    Também ganhei um presente de Deus. O Nicholas. Ele é lindo, esperto, inteligente e muito carinhoso.
    Estou aprendendo muito com ele e a cada dia ele me surpreende mais e mais.
    Ele é fera no computador, já com 5 anos. Liga, desliga, coloca o CD que ele quer.
    Também gosta de DVDs. Assiste muitas histórias.
    Ele é muito amado na escola. Eele está em uma escola particular e todos lá amam ele demais.
    O Nicholas é uma benção na minha vida. Com ele aprendi o que é o verdadeiro amor.

  20. ROSE CLAIR disse:

    Nosso mundo Paneta Terra, ao mesmo tempo que é grande, se torna pequeno diante de tanta ignorancia. O que é ser normal?, o que é a perfeição?, o que é de fato certo ou errado? Para muitos são as regras ditadas por nossa sociedade, nos esquecemos que somos a sociedade. Crio-se e cria-se esteriótipos como é o ser perfeito, nos esquecemos que vai depender de quem está de fato classificando, analisando, olhando. Para o portador da sindrome de Dawn, os diferentes somos nós!!!!!!!!!
    Tenho uma amiga muito querida com sindrome de dawn, ela é +QD+, ser humano lindo, em todos os aspectos. O que é mais legal na amizade com o portador da sindrome, é que ele não usa máscaras, se gosta, gosta mesmo! Sem contar a facilidade de aprendizagem, para as artes plásticas.
    Feliz daquele que tem o carinho, o respeito e amizade de um portador da sindrome de dawn.

  21. gisele raquel disse:

    gostei muito desse texto falando de crianças com down ate porque minha familia tambem sofre preconceito porque eu tenho uma tia que tem sindrome de down

  22. Naiara disse:

    mee ajudeem pelo amor de Deus preciso de uma historia que vi em uma reportagem de tv não lembro qual era uma escritora que tinha uma filha que tinha sindrome de down
    ela tinha um filho mais velho e o marido largou dela quando descobriu que ela tava hravida de uma crianlça portadora de sindrome, me ajudeeem peloo amor de Deeeus o maais brevee possiveeel, AGRADEÇOOO


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado