Ninguem esta acima da leiPois bem, um advogado tentou entrar em presídio de segurança máxima em São Paulo com nada menos que 6 aparelhos celulares em sua pasta. E ainda ficou indignado quando teve que passar pelo aparelho de detector de metais. É lógico que esses celulares deveriam ficar em poder de presos. O advogado alegava que tal revista era uma forma de impedir seu trabalho profissional. Pois bem, o presidente da seccional paulista da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Luiz Flávio Borges D´Urso, afirmou nos últimos dias não ser contra a revista de advogados por detectores eletrônicos, como acontece nos aeroportos, fóruns e bancos. Ora, ora, em um momento em que a segurança pública de São Paulo parece ter entrado em colapso, com o poder paralelo dos criminosos, é no mínimo descabido que alguém, por importante que seja, deixe de ser revistado ao entrar em um presídio. E isso deve valer não apenas para advogados de presos, mas também para juízes, promotores e servidores do sistema prisional. Esta é uma questão comezinha de direito. Afinal, não se pode brincar nem fazer vista grossa quando se trata de segurança pública…

4 Responses so far.

  1. Renê Couto disse:

    Realmente Tom!
    E na minha opinião, todos devem ser tratados iguais, independente da profissão!
    Como sempre, ótimos artigos.
    Um grande abraço!

  2. huo disse:

    huo

  3. Shirley disse:

    É isso aí! Esse é meu sonho. É comovente como vemos as pessoas refletirem sobre seu(s) papel quando são igualmente – justamente – punidas se tratam as leis com arbitrariedade. A-do-rei… só entendo justiça assim: UM PESO, UMA MEDIDA!
    Shirley

  4. Parabens pela qualidade do site e do conteudo!!! Muito bom mesmo.. Continuem assim.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado