As faces dos negros são como a pupila dos olhos

Redescobrindo o BrasilFinalmente estamos redescobrindo o Brasil profundo, étnico e racial. E é bom que reflitamos sobre essas palavras de ´Abdu´l-Bahá (1844-1921): “…verdadeiramente as faces dos negros são como a pupila dos olhos; ainda que a pupila do olho seja criada preta é ela a fonte de luz. Espero que Deus venha a tornar estes negros a glória dos brancos e como os depositários das luzes do amor de Deus. E peço a Deus para ajudá-los sob todas as ircunstâncias, para que possam ser abarcados pelos favores de seu Amoroso Senhor través dos séculos e eras.” Mas essa “redescoberta” vem aos poucos, com pés de pombos. Suaves, porém constantes. Primeiro com dados estatísticos do IBGE oferecendo um perfil da cor da população brasileiro. Depois com as recentes ações afirmativas para dar acesso aos negros ao ensino superior, um gueto elitista, majoritariamente formado por brancos. Pois bem, um terço dos alunos matriculados no ensino fundamental e médio de escolas particulares que declararam a etnia se considera negro (inclui a classificação “preta e parda”), enquanto que nas escolas públicas, esse índice ultrapassa a metade, chegando a 56% dos estudantes. A etnia dos estudantes foi levantada pela primeira vez no Censo Escolar 2005, feito pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais). Já os resultados ficaram prontos no fim do mês passado. O órgão inseriu no questionário respondido por pais e alunos o item “raça/cor”. Apesar de optativa, a autodeclaração gerou polêmica, levando cerca de 20% a não se pronunciarem. Tomemos como exemplo ilustrativo, o adolescente Diogo Rodrigues Dias, 13 anos, aluno da 8ª série de um colégio particular paulistano, diz só ter um colega negro como ele na turma. Ele está em uma escola privada porque seu pai diz ter notado a defasagem quando tentou o vestibular e foi reprovado. Algo para refletirmos. Os números, como diziam os antigos, não mentem, jamais.

One Response so far.

  1. Ana Nelo disse:

    Em primeiro lugar, vou pedir desculpas aos leitores deste Blog, pela falta de acentuacao e cdilhas, mas estou com um problema de configuracao de teclado.

    Bom, vamos ao que interessa! A questao do negro no Brasil. Primeiro o que e ser negro na terra Brasilis?

    O que significa nao ser negro no continente Brasil. Vamos parafrasear Gilberto Freire em seu livro Casa grande e Senzala: O Brasileiro por branco que seja em sua alma carrega o sangue africano.

    Ja consegui entrar em debates sobre estas estatisticas do IBGE, respeito o orgao mas nao concordo com os numeros. Que metodo estatisticos voces estao analisando a quantidade de Negros? Quais os parametros para definir o NEGRO? Ser ou nao SER?

    Eu por exemplo: tenho documentos que esta escrito que sou morena, outros documentos sou parda clara? Estou mesmo e sem identidade enquanto esta discussao infrutifera continua. Em minha opiniao nos temos problemas de pobreza, alias de um pais rico em materia-prima, mas pobres em produtos e tecnologias.

    Sou literalmente contra estas esmolas na forma de bolsas, esta questao racial eu vejo nada mais do que uma fuga da nossa realidade de trabalho, de desenvolvermos redes cooperativas para exportacoes, um artesao nao exporta, mas 20 aresaos exportam. Um pescador nao exporta 15 pescadores podem exportar e assim por diante. Vamos desenvolver o pais e deixar de lado esse paternalismo sem dignidade.

    Prezados leitores, com toda a confusao constante nos meus documentos, eu debati outro dia em Universidade com alguns representantes da cultura negra: Embasei meus argumentos nas seguintes caracteristicas:
    1o) tenho pouco pelo na pele como os indios;

    2o) tenho uma cor indefinida, tanto assim o e, que ha unidade (os documentos sao meus) na diversidade (as diversas cores la descritas).

    3o) Se voces querem saber se em minhas veias corre sangue AFRICANO, esperem uma chuva e por acaso eu esteja molhada, esperem meu cabelo secar para voces saberem, sem exames especificos, exatamente a minha heranca Africana. Uma familia grande tenho irmaos bastante morenos. E agora o que e ser negro?

    Gostaria de informar tambem, que o meu orientador de monografia da Graduacao tem a matiz da pele negra, ha menos de um ano ele lancou um livro de poesias e relata os diversos cargos por ele ocupado: 1o) Servente de servicos gerais do tribunal de contas, Rubim permita-me que nao consigo escrever este texto sem mencionar o seu nome. Certa vez ele me contou e disse que: assim que terminava os servicos, gurdava a vassoura e ia estudar. Varias pessoas o estimulavam da seguinte maneira, “larga estes livros Rubim” neste pais nao tem espaco para preto pobre”.

    Vejamos a situacao deste respeitavel senhor. Quando fez o concurso da Recieta Federal para Auditor Fiscal passou em primeiro lugar no Brasil. Quando fez concurso para professor na Universidade Federal, tambem passou em primeiro lugar.

    E eu tive o privilegio de ser aluna dele e orientada por ele durante o meu primeiro ensaio de Pesquisa: monografia da graduacao. E eu sempre digo aos meus amigos: Admiro extremamente o Rubim, por que ele nao e um homem “BOM” e um ” HOMEM JUSTO”. E nao se pode comparar a Grandeza de um Justo, com os bons que vivem de dar um jeito no jeitinho.

    Hoje, Rubim e o Delegado da Receita Federal e uma pessoa muito respeitada em todas as atividades, que pelo menos eu conheco que ele faz. Quantos Rubins sao homens justos e ate onde eu conheco, nunca vi falar que ele se entregasse ao coitadinhismo brasileiro.

    Tenho mais duvidas? Quanto ja se gastou em pesquisa, debates de televisao, jornais, com esta discussao infrutifera…. Sera que so negros sofrem preconceitos? No Sudeste e no Sul Brasileiro varias vezes ouvi a seguinte frase: ” Nao esqueca que voce e mulher, e nova e NORDESTINA?

    Sacasticamente eu respondi: O Sr. estar esquecendo outros dois detalhes, tenho dignidade e competencia, caso contrario nao estaria ao seu lado.

    Vamos parar com estes gastos de IBGE, TV, Programas assistencialismo e vamos desenvolver o Brasil. vamos mostrar que somos capazes e sem medo de inclusive de errar.

    Quanto ja foi gasto com a imprensa falada e escrita? Quanto se gastou com os orgaos de fomento a pesquisa, que expoem estes indices sem mencionar claramente os parametros de nao ser negro? E agora? O que fazer com negros como eu, que carrego no meu corpo as marcas das tres racas: Indio, Negro e Europeu? Qual o direito que eu tenho, tambem devo fazer parte de um grupo de minoriais.

    Senhores Jornalistas, Senhores Governantes, Senhores Legisladores, uma pessoa que entrar numa Universidade a PARTIR DE UMA QUOTA, SOFRERAO OUTRO PRECONCEITO: O DA INCAPCIDADE. ATE QUANDO VAMOS FUGIR DA QUESTAO PRINCIPAL, DAR CONDICOES DE TRABALHOS, DIGNIDADE, PARA A RACA HUMANA QUE ESTAR COM SEUS VALORES INVERTIDOS.

    O QUE FAZER COM UMA NEGRA SIMILAR A MINHA PESSOA?

    TEMOS RACA PURA NO BRASIL?
    D. Ribeiro afirmou em seu livro? Nos ainda nao temos uma identidade.

    Senhores vamos resolver o PRICIPAL PROBLEMA e deixarmos de lado, O PROBLEMA QUE ESTA SENDO CRIADO O QUAL DESENBOCARA NUMA SERIE DE OUTROS PROBLEMAS?

    Temos de resolver o problema de desenvolvermos o BRASIL.

    Querido Tom,
    Desculpe, eu ainda nao aprendi a ser sucinta…. Mas, desabafo as injusticas sociais das quais presencio e vivencio no teu site, obrigada pela permissao, de expressar claramente o meu pensamento, sempre fui assim: Gosto de falar o que penso, nao o que agradaria os outros.

    Com amorosas saudacoes Baha is

    Ana


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado