Polêmicas na Dinamarca

Pol micas da DinamarcaA Dinamarca é tudo, menos um Estado laico. Há uma religião oficial: o protestantismo luterano. Os padres são funcionários; os cursos de cristianismo, obrigatórios na escola. Mas trata-se de uma nação européia, pequena e valente, defendendo a liberdade de expressão. Um povo amável e tolerante surpreendido pela barbárie. Estes e tantos outros clichês sobre a Dinamarca pontuaram as polêmicas neste ano, em torno das caricaturas do profeta Maomé. É preciso, no entanto, raspar esse verniz para descobrir um quadro bem diferente dessas imagens bucólicas. A Dinamarca, recordemo-nos, é tudo – menos um Estado laico. Não apenas a igreja não é separada do Estado como existe uma religião de Estado, o protestantismo luterano. Os padres são funcionários, os cursos de cristianismo são obrigatórios na escola, etc. Mas, não existe nada mais atrasado que a hostilidade e a intolerância contra uma crença religiosa ou uma filosofia de vida. Há que se respeitar o Sagrado, que para alguns se expressam – também – através de imagens, para outros, através de práticas de orações e de jejuns. O respeito à religião inclui o respeito à prática da religião. Posturas como se ajoelhar ante um altar ou se prostar com a testa na chão é bem comum tanto no Oriente quanto no Ocidente e já faz parte da “memória da pele” e, como sabemos, nunca foi motivo de polêmica. É sempre um ato de solidão onde o crente se sente povoado pelos mistérios sagrados. Experiências religiosas ou místicas estão conosco enquanto espécie humana desde que o homem (e a mulher) pisou pela primeira vez no palco disso que chamamos de História. Aliás, nunca é demais lembrar que o respeito à crença é parte da Declaração Universal dos Direitos Humanos, tal a sua importância.

One Response so far.

  1. Renê Couto disse:

    Gostei do que li, apesar de ter um conhecimento muito limitado a respeito!
    Mas parabéns pelo excelente Blog.

    Um grande e forte abraço!


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado