Escrever poesia depois de Auschwitz   um ato b rbaro 01“Escrever poesia depois de Auschwitz é um ato bárbaro”. A controversa frase do filósofo frankfurtiano Theodor Adorno (1903-1969), ao resistir à idéia de que se pode interpretar a tragédia humana por meio da arte, talvez ajude a explicar porque nos sentimos tão acomodados com os milhares de vidas interrompidas em tantas regiões do mundo, em especial, no Oriente Médio. A cada dia um novo boletim dando conta de um massacre, um atentado suicida, o número de baixas na população civil. Quando pensamos que a desordem mundial está em ordem, tudo parece virar pelo avesso, é um golpe de estado na Tailândia, é uma declaração inoportuna do Vaticano sobre o Profeta Maomé. Um quebra-cabeça onde as peças que antes se encaixavam de repente passaram a não mais se encaixar. Se fosse um jogo de xadrez, teríamos no tabuleiro seis bilhões de pessoas em busca de jogadores hábeis. Não estaremos passando pelas dores de parto de um novo mundo? Afinal, preocupar-se com as voltas que o mundo dá é acima de tudo uma questão de direito.

3 Responses so far.

  1. Renê Couto disse:

    Muito bom o artigo…
    chega a tocar o coração, e nos poe a refletir!
    Um carinhoso abraço,
    Renê Couto

  2. Didn’t notice it before…quite clever.

  3. bruna disse:

    bom eu queria escrever um cometario para fortalece as pessoas, de lomge que tem muita gente quer nao saber ler. porquer tem dificudade para ler escrevar enchegar e olha [eu tenho 11 anos] ja entendo como nos criança sofre de abuso;estrupaçaõ;porradae etc…


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado