Vestibular: algo que não pode ser debatido?

Vestibular   algo que n o pode ser debatidoPoucas universidades, poucas vagas nas faculdades e uma multidão de jovens e adultos – grande parte na casa dos 35/40 anos – prestando os exames vestibulares. Em alguns casos, a concorrência chega a ser de assustadores 57 concorrentes para se assegurar uma vaga no curso de medicina, de 42 para 1 no caso do curso de Direito. É claro que ações para desfazer esse nó já estão sendo objeto de políticas governamentais, nos níveis federal, estadual e municipal. Já sabemos que maior número de negros, indígenas e oriundos de escolas públicas têm cotas para facilitar esse acesso. Mais que isso, para tentar consertar uma situação desconcertante, essa de que curso superior no Brasil é um luxo para as classes mais ricas, para os alunos das escolas particulares, etc etc. Mas outras medidas precisam ser tomadas. Vestibular deveria existir apenas em último caso e para este ou aquele curso. É uma questão de direito que todo aluno que termine o segundo grau tenha acesso imediato ao curso superior de sua preferência. Imaginemos se ainda fosse necessário no Brasil vestibulares para o primeiro grau, para o segundo grau? Então, porque nos acomodarmos com a idéia de que ter vestibular é quase uma cláusula intocável em nosso sistema de educação formal? Não podemos deixar de considerar que a educação é o instrumento para extrair de cada um de nós o que de melhor podemos fazer para termos um mundo seguro e em paz.

One Response so far.

  1. A massificação de cursos universitários em Portugal fez com que hoje em dia o grande número de desempregados seja de recém-licenciados ou apenas licenciados.
    Seria bom que valorizássemos certos trabalhos como o de serralheiro ou carpinteiro como valorizamos o de médico ou advogado.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado