Se não aprendermos agora, aprenderemos quando?

Se n o aprendermos agora

O livre arbítrio, algo tão caro ao ser humano, algo que tem íntima relação com o conceito de liberdade, é um instrumento também coletivo, um meio pelo qual os países fazem as suas decisões estratégicas que poderão fazer seus povos avançarem ou retrocederem em termos de bem-estar econômico e social. Vivemos em uma conjuntura crítica, em que os problemas de difícil tratamento que confrontam as nações foram enfeixados numa preocupação comum pelo bem-estar do mundo todo. Mas, temos que convir, a nossa inércia face à maré de conflitos e de desordem seria por demais irresponsável para não ser tema da agenda de qualquer povo que pense em seu futuro daqui a 5, 10 ou 20 anos. O futuro se constrói no presente, tendo-se também o auxílio de uma rápida passada de olhos para nosso passado coletivo. O que foi que nos levou a ligar ops fornos crematórios de Treblinka e de Auschwitz que em meados dos anos de 1940 inicneraram milhões de seres humanos? O que foi que nos levou a lançar nos céus de Hiroshima e Nagasaki os cogumelos atômicos, derretendo literalmente centenas de milhares de vidas humanas? O que foi que fizemos com o efeito estufa, com o aumento acelerado do gás carbônico na atmofera que geraram tsunamis, furacões e destruições de cidades e regiões inteiras? É tempo de aprendermos com o passado. Se não aprendermos agora, aprenderemos quando?

One Response so far.

  1. Zahar disse:

    Washington, gosto muito dos seus artigos e incluí o seu blog no “feed” do meu blog, em http://iabasse.blogspot.com/ .
    Parabéns e um forte abraço.
    Zahar


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado