Aplicando a lei… ou cometendo excessos?

Lei ou excessos 1 2Licenciado de suas funções como Ministro da Cultura e viajando pelos EUA em turnê musical, Gilberto Gil (foto) passou por constrangimento ao ser interrogado em sala particular pelas autoridades americanas de imigração, no último dia 13, ao chegar no aeroporto Fort Worth, em Dallas. De acordo com a assessoria do músico, o problema de Gil com a imigração dos Estados Unidos é antigo, e acompanha a sua carreira desde que ele foi preso com maconha em Florianópolis, há 31 anos, episódio que rodou o mundo no documentário cinematográfico Os Doces Bárbaros. A embaixada dos Estados Unidos em Brasília informou, por meio de sua assessoria, que vai investigar o ocorrido. E a assessoria do Ministério da Cultura informou que não cabe providências ao ministério, porque Gil está licenciado, sem vencimentos, e não viaja representando o governo brasileiro. Em 2001, Gil atrasou uma viagem à Jamaica para a gravação de seu disco Kaya N’gan Daya porque teve problema semelhante na escala do vôo em Miami. Na ocasião, o músico disse que sempre tem que dar satisfações às autoridades americanas quando precisa tirar visto para os EUA. Se isso ocorre com um brasileiro, ministro de Estado, licenciado vá lá, o que não deve ocorrer com os simples mortais? O direito de ir e vir é consagrado na maioria das constituições dos países, seja na do Brasil seja na dos Estados Unidos. E é, antes de tudo, um questão de direito de todos nós.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado