A outra realidade dos professores em Niter iVolto a comentar sobre educação. Pois bem, um recente estudo da Universidade do Estado do Rio Janeiro (UERJ), realizado pela pesquisadora Gisele Levy, revela que cerca de 70% dos professores de cinco escolas da Rede Municipal de Educação de Niterói sofrem da Síndrome de Burnout, ou seja, de exaustão emocional, despersonalização e falta de realização. Estresse, essa é a doença. A amostra reuniu 119 professores do Ensino Fundamental de Niterói e municípios vizinhos, que trabalham com alunos entre seis e 14 anos de idade. Deste total, 71 % pertenciam ao gênero feminino, 34% tinham idade entre 31 e 40 anos. 86% se sentiam ameaçados em sala de aula. Segundo Gisele Levy, são muitos os aspectos que contribuem para a Síndrome de Burnout, como as condições precárias em que o ensino público se encontra, baixos salários, jornada de trabalho excessiva, prédios mal conservados, falta de equipamentos, violência dentro e fora das escolas e até mesmo a inexperiência.

2 Responses so far.

  1. Glória Reis disse:

    Caro jornalista, você conhece alguma profissão que não cause estresse? Por que só o estresse dos professores é propagado aos quatro ventos? Sou professora aposentada e discordo de toda essa lamúria em cima do magistério e enquanto não mudarmos esse clichê, eles não se sentirão respensáveis pela produtividade em seus empregos. Qual emprego que tem 3 meses de férias ao ano? Qual emprego que pode faltar e assinar ponto normalmente? Qual que tem estabilidade e aposentadoria diferenciada de outros trabalhadores brasileiros? Qual profissão que pode fracassar à vontade e ainda sair como heróis? No meu blog mostro o outro lado da escola, que a imprensa sistematicamente ignora: a escola como mito de “instituição sagrada” e que, por isso, não muda, não é cobrada, fazendo com que nem a metade de nossas crianças matriculadas termine o Ensino Fundamental.

  2. Sueli Gomes disse:

    Senhora glória dos Reis, sou professora da rede municipal,trabalho pela manhã e a tarde e principalmente a noite planejando para o dia seguinte, inclusive nos finais de semana preenchendo fichas de desempenho dos alunos.Infelismente a senhora nao alcançou esses tempos morderno, onde no meu município de Russas do Estado do Ceara,nós professores só temos um mês de férias, não podemos assinar o ponto sem ter marcado presença,pois caso contrário o nosso salário no final do mes é descontado.Não podemos fracassar devido ao nosso nome e profissão que temos a zelar e a responsabilidade com os nossos alunos.Trabalho com crianças carentes que vivem num ambiente violento onde as drogas e as desestruturações nas familias predominam.Convido a senhora para lecionar nas nossas escolas por um mes aqui!


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado