Criancas como as outras

O drama dos meninos e das meninas de rua continua a ser encenado em praças e lugares públicos de todo o Brasil. A história desses desvalidos mirins remonta ainda ao século ao final do século 19, quando eram vistos como perturbadores da ordem e da paz social nas primeiras metrópoles do mundo. De lá pra cá parece que pouco ou muito pouco mudou. Essas crianças que ainda hoje vemos pelas ruas não se encaixam nesse Brasil ideal. Elas permanecem às margens da sociedade em sua luta cotidiana pela sobrevivência. Nesse percurso, fazem um pouco de tudo para se manterem vivas e gerar renda para os seus. Desperdiçam nessa luta insana sua energia, seu potencial e seus sonhos. A própria designação de menino de rua é equivocada. São crianças, como as outras, cheias de vitalidade e alegria. E têm grandes expectativas também. Desejam nada menos que ser parte de uma sociedade que lhes confronta nas ruas, na televisão e nos outdoors… E sonham fazer parte de um modelo econômico e social do qual ainda são, perversamente, excluídas. Não. Não existem meninos de rua. Mas crianças e adolescentes que são levados às ruas. Seus destinos entregues à própria sorte. E cada um de nós tem um parcela de responsabilidade. Falta apenas ver o que podemos fazer para que espetáculos como estes deixem de ser apresentados e seus atores possam ser vistos como cidadãos em construção. Voltaremos ao assunto.

3 Responses so far.

  1. Lucinda disse:

    Quando se diz que não existe meninos de rua, mas que tais meninos são levados a rua, nos faz refletir sobre a importância da educação para a criança, tanto dos pais como dos professores que são os principais responsáveis pelo futuro das crianças.Se a criança não recebe uma boa educação, ou seja, voltada para os aspectos essenciais da pessoa humana, ela se sentirá motivada a seguir outros caminhos. Meninos de rua são meninos perdidos, mal orientados na sua trajetória infantil; e todos nós adultos somos responsáveis por isso.

  2. Adriana disse:

    Interessante o argumento da Lucinda. Infelizmente, não podemos olhar esta criança sem um foco global. É muito fácil culpar a familia, mas convenhamos, tal justificativa nesta nossa sociedade capitalista, isso já não é de se estranhar, pois a culopa sempre recai no individuo. Infelizmente minha cara Lucinda, o problema é muito além do familiar e perpasa pela falta de políticas públicas e dos interesses dos donos de capital que “investem” em países como o Brasil.. o que eles querem? coloquei entre aspas pq na realidade, o dinheiro aq é com segundas intenções e não para dar condições a familia deste pobre perdido meninno ter emprego digno, casa própria com boas condições para se viver, educação de qualidade etc etc etc etc., coisas que propiciariam a ele uma vida real e efetiva. A vida que vc quer para o seu filho minha cara Lucinda.

  3. daniela evellyn conartioli disse:

    bom esse meninos de rua ficam na rua porque querem a prefeitura oferece lugar para eles morar.muitos desses menino fivam na rua por causa da famili muitos casos eles sao violentado pelos pais.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado