Tudo na vida   passageiroPersistentes é o que somos. Quando já não há mais com o que lutar, fica-se assim meio que deixando o rio correr, bem ao ritmo do “ele corre sozinho, para que empurrá-lo?” Muitas vezes há que se calar para ouvir a voz interior. Escutar aquele murmúrio que atende pelo nome de Incognoscível. Estar atento que tudo, como dizia aquela aeromoça amiga minha – “tudo na vida é passageiro”. Mas há um mundo com seus signos e com seu ritmo meio alucinado, sempre algumas rotações acima do que pensamos ser “normal”. E há toda uma carga de esperança a ser transportada de uma geração a outra, de uma vida a outra, como uma ponte ligando pontos luminosos na linha do tempo. Existem dias que filosofar, revistar e revirar memórias, mesmo que dedos inquisitivos nos carimbem como saudosistas incuráveis, ainda assim vale a pena poder pensar que tudo poderia ter sido diferente, como diferentes são as conseqüências desta ou daquela ação que antes de ser ação visível, quase palpável de tão presente, existia apenas nos infindáveis limites do que  chamamos de pensamento. Como esceveu Sebastião Gama: Pelo Sonho é que vamos/ comovidos e mudos/ Chegamos?/ Não chegamos?/ Haja ou não frutos/ Pelo Sonho é que vamos.

2 Responses so far.

  1. Sidneia rabelo disse:

    Lindo o que você escreve me toca profundamente. Poesia e sabedoria emanam dos seus textos. Eu leio todos. Encanta e ensina…obrigada Tom!

  2. camila disse:

    oi meu nome é camila como voces ja sabem , meu sonho é ser aeromoça e nesse site eu me encontrei queria saber se voces podem devulgar mais coisas sobre aeromoça pos estou muito curiosa ,beijos e amo esse sita


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado