AnalfabetosSaber ler (e escrever) sempre foi considerado o grito de partida para a inclusão social, para o progresso pessoa. Pois bem, houve redução do número de analfabetos no Brasil em 2006. Apesar da queda, ainda existiam no Brasil, em 2006, 14,9 milhões de pessoas de 10 anos ou mais de idade analfabetas, mas o número é 4,2% menor do que em 2005.  A taxa de analfabetismo para essa faixa etária foi, em 2005, de 10,2%, enquanto em 2006 foi reduzida para 9,6%. Em 1996, era de 13,7%. Para as pessoas de 15 anos ou mais de idade, a taxa de analfabetismo, em 2006, era de 10,4%, ante 11,0% em 2005 e 14,6% em 1996.  A pesquisa mostra também que “seguiam significativas” as diferenças no indicador de analfabetismo entre as regiões em 2006. A taxa de analfabetismo das pessoas de 10 anos ou mais de idade na região Nordeste foi 19% e na região Norte, de 10%. Por outro lado, nas regiões Sul e Sudeste esses valores foram, respectivamente, de 5,2% e 5,5%. Uma boa notícia dá conta que o número médio de anos de estudo das pessoas de 10 anos ou mais de idade passou, segundo a pesquisa, de 5,3 anos em 1996 para 6,9 anos em 2006. As informações constam da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada esta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  

 


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado