O papel da mídia começa a ser repensado

Midia repensadaO papel da mídia começa a ser repensado. O fato é que as novas mídias, as tais eletrônicas, virtuais, como os noticiários na Internet vieram para ficar. Ninguém espera mais o dia seguinte para saber as cotações na bolsa de valores de ontem. Queremos a cotação de hoje, se possível, de dois minutos atrás. A notícia como ela é está deixando lugar para a notícia do aqui e agora, sendo que muitas redações são “furadas” por algo que tão logo aconteceu já se encontrava na internet, com áudio, vídeo, fotos, tudo. Inclusive depoimentos. Essa situação nos deixa com certo desconforto pois não há tempo suficiente para digerir, para ruminar, para pensar sobre o conteúdo desta ou daquela notícia. Reflexão, análise, são experiências que somente os humanos aparentam ter. Será que estamos ficando obsoletos pois nem refletimos e nem analisamos um fato, uma situação?

2 Responses so far.

  1. Maria Bello disse:

    Na minha opinião, mesmo antes da novas mídias digitais, a própria televisão – com raras excessões – em seu jornalismo diário já faz isso há muito tempo. É um rolo compressor de notícias uma atrás da outra, que não dá tempo nem da gente acabar de ouvir uma e lá vem outra e, se ficar pensando naquela, perde a próxima.
    Acho que isso deve fazer parte da evolução humana: os nossos descendentes nascerão com cérebros possuidores de processadores mais eficientes, capazes de assimilar mais informações que os nossos atuais e assim por diante. Embora, se assim for, perderemos muito da humanidade. Estou aprendendo e ensinando meus filhos a questionar o que ouvem e/ou vêem, analisar; não é tarefa fácil, mas acho que estou fazendo a minha parte.

  2. Maria Bello disse:

    Uma correção: escrevi errado, o correto é: “… raras exceções …” só vi depois que tinha enviado, desculpem, se tiver mais alguma palavra escrita errado, podem corrigir.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado