Cotas para negros

A Universidade de Brasília (UnB) anunciou mudanças no Sistema de Cotas para Negros. Pelo novo modelo, candidatos ao Sistema de Cotas para Negros, que antes concorriam também pelo processo seletivo universal, poderão concorrer a apenas um dos sistemas. Os candidatos ao Sistema de Cotas para Negros deverão efetuar a inscrição pela Internet e optar, no ato da inscrição, por concorrer exclusivamente pelo sistema. O processo seletivo das cotas também mudou. As fotografias foram substituídas pela entrevista pessoal. Será necessário comparecer no campus de Brasília para entrevista pessoal em até 15 dias após a realização das provas. A entrevista acontecerá antes da divulgação do resultado final do processo seletivo, quando os candidatos deverão assinar declaração específica de adesão aos critérios e procedimentos inerentes ao Sistema de Cotas para Negros. As inscrições para o vestibular começam em 31 de outubro. Ao todo, são oferecidas 1.013 vagas nos 62 cursos de graduação para o campus Plano Piloto, em Brasília.

3 Responses so far.

  1. SAM disse:

    Depois da situação dos irmãos, há uns meses atrás, não restava outra medida senão acabar ou alterar o processo.

    Esperemos que essa decisão de alteração, que parece ser minimamente sábia, seja a acertada.

  2. CS disse:

    Sei que não importa opinião pessoal, mas eu nunca achei certo esse sistema de cota para negros ou deficientes físicos,… Acho que as aprovações deveriam ser imparcias, ou seja, fossem aprovados os melhores, os mais bem classificados (realmente! com fiscalização séria para a correção das provas e seleção dos melhores canditados), fossem eles negros, amarelos, índios, deficientes, brancos e até com doenças transmissíveis ou não; deveria valer a medida do conhecidmento e capacidade de estudo do candidato. Eu posso ser considerada deficiente, e realmente, não dou nada por minha capacidade profissional (porque não tenho capacidade para as profissões que eu quiz escolher, acabei formando-me em outras); imagine se eu fosse tomar lugar de alguém mais capaz.
    Talvez o sistema de educação nos países em desenvolvimento ainda deixe muito a desejar. Se é que isso possa ser uma explicação para a minha opinião ou ponto de vista.
    Ou então, o mundo com essa superpopulação, está chegando ao ponto de incerteza quanto a formação profissional.

  3. Caro Washington,

    seu blog é bem interessante. Coloquei um link em nosso blog. Sou professora dos alunos do 3º período de jornalismo da UNiversidade Federal de Sergipe. Entre lá e dê a sua opinião! Abs

    Kadydja


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado