Questoes de genero em cursos da policia do RioA Assembléia Legislativa do Rio aprovou esta semana, em primeira discussão, o projeto de lei 3722/06, da deputada Inês Pandeló, que obriga a inclusão da disciplina Relações de gênero no curso de formação das polícias Civil e Militar e Corpo de Bombeiros. Presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher na Alerj, Pandeló acredita que a inclusão da disciplina contribuirá para que esses profissionais tenham condições de atender mulheres vítimas de violência. Dar atenção a questões relacionadas com segurança publica é o mínimo que podemos esperar de nossos governos, legisladores, juízes. Certamente que uma ênfase na proteção das mulheres torna-se indispensável, afinal, não precisamos ir muito longe para vermos que o elo mais fraco da corrente a que chamamos de sociedade atende pelos nomes de mulher, criança, afro descendentes, analfabetios e por ai afora…

3 Responses so far.

  1. Preparar cada vez mais culturalmente as polícias é sempre bom. Porém não devemos esquecer que os policiais em sua generalidade estatal, necessidade de melhor soldo; sem estar bem consigo mesmo e com os seus dependentes, os policias não podem prestar uma segurança digna para a sociedade. Um abraço e feliz ano novo.

  2. Quanto mais cultura melhor prestação de serviços para sociedade; porém não devemos esquecer que os policiais em sua generalidade estatal, estãonecessitando de melhor remuneração.

  3. Deixo aqui uma sugestão de leitura. Ao longo desta semana, estou publicando uma série sobre a discussão de uma possível participação do Exército na segurança pública do Rio de Janeiro, baseado na atuação do Haiti.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado