Poucos chegam a universidadeFontes do Ministério da Educação do Brasil, o MEC, dão conta que somente um sexto dos estudantes brasileiros no ensino médio deve chegar à universidade. A mesma fonte afirma que os alunos que não são inseridos no mercado de trabalho têm pouco interesse em permanecer na escola. O ponto é que um ano de escolaridade, no Brasil, pode significar um incremento de 15% na renda, o que é algo bastante atrativo para se evitar a evasão de alunos do ensino médio. Outros dados dão conta que entre meninas de 15 a 17 anos que deixaram os estudos, um terço são mães. É inegável que o ensino médio, atualmente, apesar de todas as fragilidades, está organizado para fazer a diferença para o jovem de baixa renda. E a lógica é linear: “Quem cursa o ensino médio tem exercício da cidadania superior a quem não o faz.” Foi o que afirmou recentemente o ministro da Educação, Fernando Haddad. Vale lembrar que em 2007, o MEC lançou o Plano de Desenvolvimento da Educação, que estabelece metas para melhorar a qualidade do ensino no país. Planos como este somente terão sucesso se forem perseguidos com determinação, perseverança. Há que se manter o foco na melhoria do ensino médio pois há muito, muito que melhorar para que o Brasil alcance a posição de desenvolvimento intelectual que lhe é devido.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado