Estrangeiros: vingança com nome de reciprocidade

Deportados e ReciprocidadeNos últimos dias nossos olhos e ouvidos ficaram saturados de ver brasileiros sendo deportados da Espanha e espanhóis que chegavam em Salvador, na Bahia, sendo igualmente deportados. Usou-se o tal do princípio da reciprocidade. Existia algo mais arcaico nas relações internacionais que a reciprocidade levada a ferro e a fogo? Pois bem, enquanto países desenvolvidos estão fechando o cerco para imigrantes ilegais, programas para atração de profissionais com alta qualificação se consolidam sobretudo nos de língua inglesa como os Estados Unidos, a Grã-Bretanha, a Austrália e o Canadá. Alta qualificação em outras palavras poderia se dizer da atração de bons cérebros. Por um lado, os Estados Unidos, a Inglaterra e a Austrália barraram nas fronteiras ou deportaram um total de 1.300.000 de “indesejáveis” em 2006. A outra face da moeda é que esses mesmos países deram boas-vindas, por meio de programas especiais, para cerca de 155 mil imigrantes qualificados no mesmo ano. A maior parte dos expulsos, cerca de 1.200 mil de pessoas saiu dos Estados Unidos. O país, no entanto, concedeu visto de trabalho a 37 mil profissionais qualificados pelo sistema Priority Workers, que não exige oferta prévia de emprego. Também em 2006 a Inglaterra devolveu 97 mil pessoas e abriu as portas para cerca de 20 mil imigrantes altamente qualificados por meio de um programa especial que foi reformulado em 2008. Ou seja, trata-se de uma política seletiva. São aceitos nos países desenvolvidos quem tem uma boa massa cinzenta e são repatriados a seus países de origem quem não tem como ajudar no progresso dessas nações.

One Response so far.

  1. SAM disse:

    Entretanto, como você sabe, meu querido, há países que mandam de volta ambos…

    A Terra ainda tem muito a evoluir para se poder, finalmente, assumir como um só país, não é?


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado