Atendendo a pedidos, voltei

VolteiAos que estavam com saudades, voltei. Aos que não tiveram tempo de sentir saudades… tanto melhor, ainda assim, voltei. Aos que nem perceberam que havia dado um tempo no Cidadão do Mundo, eis-me aqui. Nestes quase três meses de ausência da blogosfera construí uma tese sobre A Hora da Estrela, livro de Clarice Lispector e filme de Suzana Amaral para tentar obter o grau de mestre em cinema. No período vi-me tentado, uma e muitas vezes, a colocar percepções, devaneios e reflexões sobre ontem, hoje e amanhã nesse espaço virtual. Deixei passar uma série de coisas bacanas que aconteceram de maio a meados de agosto e bravamente resisti a esse hábito de viver olhando o monitor e mandando ver no teclado do que, propriamente, viver. Se não atentarmos, logo não saberemos mais o que é um contato humano, visual, pessoal, especial. Nos tornaremos meros simulacros de automatos a preferir mil vezes mais um contato virtual que um pessoal. Uma mensagem eletrônica valendo mais que uma descontraído bate-papo ao final do dia (e porque não ao amanhecer de um dia?) Chega de conversa mole pra boi dormir, queria mesmo era dizer que voltei com todo o gás, uma gás não poluente, 100% humano, vital, espiritual. E espero que essa energia continue sendo o combustível para esse suave regresso.

2 Responses so far.

  1. Fernanda Oiticicca disse:

    ate que enfim vida inteligente na Grande Teia. Be-vindo e nos brinde com aa otimas percepcoes. Voltarei a trombeteae que o cidadao do mundo voltou!!!!

  2. SAM disse:

    Um regresso que não passa desapercebido, meu irmão.
    Aliás, uma volta que nos deixa com um sorriso de “orelha a orelha” 😀

    Um carinhoso abraço


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado