Missa de Requiem para o Fim de uma Era?

E agenda mundial mudou completamente em menos de uma semana! Antes falávamos sobre os males do aquecimento global, o conflito armado na Geórgia, o movimento separatista na Bolívia, a expulsão da Odebrecht do Equador, o desmatamento na Amazônia. Um pouquinho antes ainda falavamos apenas das Olimpiadas em Pequim. E parece que tudo isso foi há mais de dez anos. Vinte e cinco anos talvez. O que aconteceu de novo? A explosão da temida bolha financeira em Wall Street derrubando bolsas mundo afora, fazendo gelatina de ativos sólidos de instituições financeiras como a Lehmann Brothers (NY), com toda uma história que atravessa todo o século passado. Tudo o que acontece no mundo está fadado, nestes dias, a ser periférico e secundário. Os olhares estão nas ações comercializadas nas Bolsas. E não importa se A Bolsa é a de Londres ou a de Taiwan, a de São Paulo ou a da Islândia.  

Leio com uma pulga atrás da orelha que serão necessários algo como 1 trilhão e 400 bilhões de dólares norte-americanos para conter a sangria financeira internacional. Outros preferem ler a realidade com os óculos, sempre míopes, do conflito ideológico e para tanto, já antecipam uma missa de Réquiem para o Fim do Capitalismo tal como o conhecemos.

 

O que é comum a todos é o sentimento de perplexidade e impotência: avançamos (e muito) o sinal para procedermos a um (singelo) meia volta volver.

Convenço-me de que não importa quão assombrosas sejam as perspectivas financeiras ainda assim estamos testemunhando apenas um pálido vislumbre do que vem por aí. Aguardemos, pois.

One Response so far.

  1. adioneia disse:

    porque voçe acha que é o fim do capitalismo se os ricos bilhionarios tem como impedir isso!!


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado