NOVA IORK — Muitas comunidades bahá’ís ao redor do mundo estão observando o Dia dos Direitos Humanos esta semana, que neste ano tem um significado especial porque marca o 60° aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Em Nova Iork, a Comunidade Internacional Bahá’í organizará um seminário sobre “Liberdade de Religião ou Crença: Perspectivas e Desafios depois de Sessenta Anos de Proteção das Nações Unidas.”

O seminário ocorrerá no dia 8 de dezembro e terá dois painéis de discussão destacando entre outros: Felice Gaer do Instituto Jacob Blaustein, que serve na Comissão Norteamericana de Liberdade de Religião Internacional; Azza Karam do Fundo das Nações Unidas para a População; Cole Durham do Centro Internacional para os Estudos de Direito e Religião da Universidade de Brigham Young; e Malcolm Evans da faculdade de direito da Universidade de Bristol.

O Dia dos Direitos Humanos é especialmente importante este ano porque os direitos humanos parecem estar sendo atacados de várias direções”, disse Bani Dugal, a principal representante da Comunidade Internacional Bahá’í para as Nações Unidas, que também falará no evento em Nova Iork. “Este ano, dado que é o 60° aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, tudo é mais importante, já que aquele documento dá o padrão de normas mais elevadas para a liberdade de religião e crença”.  

Ao redor do mundo

Um número de comunidades bahá’ís a nível nacional e local planejaram eventos para o Dia dos Direitos Humanos, que é comemorado a cada ano no dia 10 de dezembro. Em seguida estão alguns exemplos:

No Brasil, bahá’ís participarão da XI Conferência Nacional dos Direitos Humanos em Brasília nos dias 15 a 18 de dezembro. Se espera que 1.500 pessoas compareçam, entre elas delegados eleitos dos 27 estados brasileiros, convidados e observadores.

A Comunidade Bahá’í do Brasil preparou uma nova edição da Passarela para os Direitos Humanos, uma exibição com 30 pôsteres representando os artigos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Desenhada para percorrer um corredor onde as pessoas possam passar por ele para ver a exibição, a nova edição da “Passarela” foi impressa usando linguagem e desenhos feitos por alunos do segundo grau do Guará, uma cidade satélite a Brasília, e com apoio financeiro da Organização dos Estados Ibero-americanos.

No Canadá, os Bahá’ís estão co-patrocinando pelo menos 10 eventos, incluindo uma conferência de dois dias sobre “Direitos Humanos e Dignidade Global”, na cidade de Victoria, British Colômbia, que ocorreu nos dias 6 e 7 de dezembro. 

Um número de eventos com participação de bahá’ís estão sendo realizados em várias universidades do Canadá, incluindo a McGill de Montreal, Universidade Simon Fraser, e a Universidade de British Columbia.

“Temos motivado as nossas Assemblélias Espirituais Locais a realizarem eventos”, disse Gerald Filson, portavoz da Comunidade Bahá’í do Canadá.

No Reino Unido, a comunidade bahá’í produziu dois panfletos para distribuição em escolas e universidades que se relacionam com a perseguição dos estudantes bahá’ís nas universidades no Irã e a Declaração Universal dos Direitos Humanos, que específica o direito a educação.

“Nossos jovens bahá’ís estão organizando seminários, eventos e apresentações em vários lugares”, disse Robert Weinberg, portavoz para os bahá’ís do Reino Unido.

Ele disse que bahá’ís estão também apoiando uma carta aberta, assinada por um número significativo de educadores, lideres religiosos, e acadêmicos de todo o Reino Unido, que critica a política do Irã de negar aos bahá’ís acesso à educação superior. A carta deve ser comunicada no Dia dos Direitos Humanos.

Na Áustria, a comunidade bahá’í organizou um evento no dia 6 de novembro de 2008 na Sede Bahá’í de Viena que comemorou o aprisionamento e assassinato de Bahá’ís vienenses de antepassado judeu durante a II Guerra Mundial. Esta cerimônia também celebrou o 60° aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Na Índia, bahá’ís estão patrocinando um programa em Lucknow que lanzará um discuro sobre a erradicação da pobreza infantil em colaboração com UNICEF e Uttar Pradesh.

Estabelecido pela Assembléia Geral das Nações Unidas em 1950, O Dia dos Direitos Humanos marca o aniversário da adoção da Assembléia Geral da Declaração Universal dos Direitos Humanos em 10 de dezembro de 1948. Ao passar dos anos, uma rede de instrumentos e mecanismos de direitos humanos tem sido desenvolvida para assegurar a supremacia dos direitos humanos e enfrentar suas violações onde quer que ocorram.

Para acessar o artigo original em inglês: http://news.bahai.org/story/676


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado