Quinto evento marcante de 2008: Planeta em risco

Apenas no ano de 2008, as plataformas de gelo na ilha de Ellesmere, no Ártico canadense, perderam 23% de sua área. Os desprendimentos de blocos de gelo totalizaram 214 quilômetros quadrados de áreas de plataformas, mais do que o triplo da área da ilha de Manhattan, em Nova Iorque. Para pesquisadores as perdas ressaltam a rapidez das mudanças que estão ocorrendo no Ártico. (V. foto acima)

Superaquecimento global e as mudanças climáticas decorrentes são dois temas que venceram as barreiras dos círculos científicos e ganharam largo espaço na mídia nos últimos tempos. 

O IPCC, organismo da ONU, publicou relatório no qual avalia que durante o século passado a temperatura média da superfície da Terra subiu de 0,4°C a 0,8°C. Com a autoridade de sua construção na consensual visão de 600 cientistas de 40 países, o documento aponta para um cenário sombrio: perdas de grandes áreas de gelo na superfície, aumento da temperatura e elevação do nível do mar, enchentes e o desaparecimento de áreas costeiras, furacões mais freqüentes e fortes em algumas áreas, secas e estiagens em outras; devastadoras alterações na flora e na fauna também são prognosticadas. 

Em contraposição, respeitáveis segmentos do mundo científico negam que o aquecimento global seja uma realidade. Ou, ainda, discordam das conseqüências alardeadas, sustentando que a terra é resistente às mudanças climáticas, que as plantas e os animais irão adaptar-se, sendo improvável que algo catastrófico aconteça como conseqüência do aquecimento global. 

Será, então, o aquecimento provocado pelo aumento dos gases do efeito estufa um perigo real e imediato? Quais os seus sinais mais contundentes? Há consenso científico a respeito da sua efetiva ocorrência e dos efeitos que possam produzir na vida em todas as suas formas de existência? Sendo um perigo real e imediato, essa “verdade inconveniente” pode ser enfrentada e a cada um de nós, de forma individualizada, no exercício dos deveres da cidadania, pode ser possível contribuir, eficazmente, no seu combate.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado